Seja colaborador do Cariri Agora

CaririAgora! é o seu espaço para intervir livremente sobre a imensidão de nosso Cariri. Sem fronteiras, sem censuras e sem firulas. Este blog é dedicado a todas as idades e opiniões. Seus textos, matérias, sugestões de pauta e opiniões serão muito bem vindos. Fale conosco: agoracariri@gmail.com

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Um Panorama das Estações de Rádio do Cariri - Por: Dihelson Mendonça


DE LUIZ GONZAGA a LOUIS ARMSTRONG

- Não toca no Rádio

- Não Sai na TV
- Não tocam em Shows
- As novas gerações estão se esquecendo quem foi Luiz Gonzaga, O Rei do Baião.


Hoje é o aniversário de morte do maior ícone cultural do Nordeste, o grande Luiz Gonzaga, compositor, sanfoneiro e acima de tudo, uma voz que está para o Nordeste assim como Louis Armstrong está para os Estados Unidos. A grande pena, é que as novas gerações não irão tomar conhecimento de quem foi LUIZ GONZAGA, porque a música deste não toca mais na grande "Máfia" ( ou Panelinha ) que se formou nas Rádios, que está quase toda vendida ao Cartel do Forró Eletrônico. Se nós entrevistarmos qualquer desses garotos de escola pública, chegaremos à triste constatação de que quase nenhum deles saberá quem foi o Rei do Baião.

Prova disso, é que outro dia, minha namorada, que é professora numa escola pública, esteve numa excursão com seus alunos, e durante o trajeto, com uma finalidade até "cultural", tentou colocar um disco do não menos conhecido Gilberto Gil, para eles escutarem ( e vejam que é um cantor costumeiramente bastante aceito e apreciado ), quando muitos dos presentes disseram:


"Tira isso aí, Professora! - Quem é esse cara ?"
"Alunos, esse é o Gilberto Gil, um grande cantor e compositor que vocês precisam conhecer"

E AGORA, A VERDADE, DITA PELA BOCA DOS ALUNOS:

"Professora, bota aviões do Forró, porque esse cara aí não toca "nem" na Rádio, ninguém sabe nem quem é..."


Amigos, a que ponto chegamos! O Cartel do Forró Eletrônico se apoderou por completo da mídia radiofônica e impede que qualquer outro estilo musical seja tocado. As novas gerações crescem ouvindo porcaria e sendo privadas de qualquer conhecimento sobre a grande variedade de música existente no planeta, e os grandes mestres. Estamos formando uma geração sem qualquer juízo crítico, manipulados por meia dúzia de canalhas da mídia radiofônica que controlam o que a plebe rude deve ouvir ou não, privando-os do acesso às artes e à cultura. Ora, um povo que é conduzido como massa de manobra, é um prato cheio para os políticos e o controle social.

Estamos vivendo uma verdadeira DITADURA das estações de Rádio, um pleno MONOPÓLIO, onde as estações, sustentadas por uma estrutura perversa e milionária das Bandas de Forró Eletrônico, cortaram todas as outras opções para o povo. Só tocam mesmo o que ELES quiserem. É uma questão de massificação mesmo, como nunca houve. No cariri, você liga o rádio, e pode acontecer de pegar até 3 estações tocando uma única música. Seria isso de Graça ? Quanto vocês acham que as estações recebem para fazer isso ? Eles não tocam mais músicas de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Djavan, Paulinho da Viola, nem Rock, nem Reggae, nem praticamente qualquer autor nacional da MPB. Que dirá os pobres compositores e cantores do Cariri, relegados ao centésimo plano...

Outro dia, o artista caririense Pachelly Jamacaru foi a uma estação de Rádio local para divulgar o seu novo disco, e foi muito maltratado. Deram-lhe as costas. O apresentador do programa da hora, disse textualmente: "Olha se vocês quiserem botar no programa de vocês, podem tocar. No meu...Tô Fora!"

Essa é a Realidade da maioria das Rádios Caririenses. Não se enganem. É com muita má vontade, se eles tocarem algo diferente do que o cartel lhes dita. Por isso, brindamos à nossa própria estação, a Rádio CHAPADA DO ARARIPE - INTERNET - 24 Horas. Ela mostra a diversidade da música. Lá, a música de qualidade é sempre o prato do dia. Lá, os artistas do Cariri tem prioridade.

Acessem:

www.radiochapadadoararipe.com

E Fujam da Máfia das Rádios do Cariri.

Dihelson Mendonça

Um comentário:

Carlos Rafael disse...

Dihelson,

Não há como não concordar com você.

Mas, atenção, há exceção: os programas de segunda a sexta na Rádio Educadora e outros mais, como, por exemplo, Festa no Sertão, de Seu Zezé, que veicula honestamente a música nordestina.