Seja colaborador do Cariri Agora

CaririAgora! é o seu espaço para intervir livremente sobre a imensidão de nosso Cariri. Sem fronteiras, sem censuras e sem firulas. Este blog é dedicado a todas as idades e opiniões. Seus textos, matérias, sugestões de pauta e opiniões serão muito bem vindos. Fale conosco: agoracariri@gmail.com

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Governo do Crato promove a I MOSTRA CRATO DE CINEMA E VÍDEO, de 13 a 18 de Junho - Por: Dihelson Mendonça



http://4.bp.blogspot.com/-bqbuO-3H-nQ/TfJCZZaaNzI/AAAAAAAAXsM/YgrzaoYyGHE/s1600/Mostra_Crato_de_Cinema_e_Video450.jpg

A
contece em Crato-CE, no Teatro Municipal Salviano Saraiva, de 13 a 18 de junho, a primeira Mostra Crato de Cinema e Vídeo, em comemoração aos 100 anos da inauguração do primeiro cinema do interior do Ceará, o "Cinema Paraíso", acontecido em 3 de maio de 1911 pelo italiano Vittorio di Maio. O evento é promovido pelo Governo do Crato, por meio da Secretaria de Cultura do Município, em parceria com a Universidade Regional do Cariri ( URCA ), Cineastas Cratenses, e reúne mais de 30 trabalhos, dentre curtas e longas-metragens produzidos exclusivamente por cineastas do Crato ou que possuem ligações com a cidade.

CRATO-CE, uma cidade marcada pelo Pioneirismo

A cidade do Crato, localizada no Sul do Ceará, ao longo da sua história, tem sido palco de inúmeros eventos pioneiros que tiveram ressonância posterior no Ceará e no Brasil. Exemplo disso foi quando a 3 de maio de 1817, José Martiniano Pereira de Alencar ( pai do escritor José de Alencar ), e filho de D. Bárbara de Alencar, proclamou do púlpito da Matriz do Crato a independência do Brasil, 5 anos antes do restante do país e já com regime republicano, estando 72 anos à frente do Macheral Deodoro da Fonseca.

Foi em Crato também, que em 1938 foi instalada a primeira usina hidroelétrica em solo Cearense, ao sopé da Chapada do Araripe; A primeira Diocese do interior; A primeira estação de rádio, a Rádio Araripe do Crato, inaugurada em 28 agosto de 1951; O Hospital São Francisco de Assis, em 23 de dez 1936; A casa de caridade em 1868; A primeira agência do Banco do Brasil do interior, em 1 set de 1936; O primeira unidade do SESI; O primeiro SESC; O primeiro time de futebol do interior do estado, o Crato Futebol Clube, em 1919; O Ideal Clube em 1916, que deu origem posteriormente ao famoso Crato Tênis Clube, ( que é de 1932 ); Os clubes de serra: Serrano, em 1961, Itaytera, em 1965 e Clube Recreativo Grangeiro em 1966.

Crato é pioneiro ainda com a primeira unidade da AABB do interior do estado, em inaugurada em 1955; Nas faculdades de filosofia, de 1960; Ciencias econômicas, em 1961; Faculdade de Direito, em 1973. Como se isso não bastasse, rodou pelas ruas do Crato ( calçadas especialmente para isso ), o primeiro automóvel do interior, adquirido pelo empresário Cratense Siqueira Campos, em 29 de set 1919; O primeiro Aeroporto do interior, em 1933 ( Campo de aviação ); Aeroporto N. S de Fátima, em 1953; Sociedade de Cultura Artística do Crato ( SCAC ), uma das maiores entidades culturais e artísticas do Ceará, em 1950, e a própria Universidade Regional do Cariri - URCA em 1986, são apenas alguns exemplos que comprovam o pioneirismo da cidade que é considerada "o coração pulsante do Cariri" e a prova inequívoca de que foi na cidade de Frei Carlos Maria de Ferrara, onde o Cariri realmente começou.

O pioneirismo do Crato se estende inclusive pela sétima arte, quando em 3 de junho de 1911 o italiano Vittorio di Maio inaugurava o primeiro cinema do interior cearense. Mas mesmo antes disso, já circulavam pelas suas ruas, alguns exibidores ambulantes, utilizando-se de um aparelho conhecido como Bioscópio e da Lanterna Mágica, que funcionavam a partir de discos e placas de vidro com gravações de imagens. Um desses exibidores foi o famoso Luiz Gonzaga de Oliveira ( Gonzaguinha ), bisavô do cineasta Cratense contemporâneo, Jackson de Oliveira Bantim.

Segundo a neta de Gonzaguinha, Alda de Oliveira Fontenele, hoje com 94 anos de idade, no inicio eram projetadas imagens coloridas que chegavam a assombrar a platéia. Com o tempo, vieram os filmes mudos com atores de gestos exagerados e muito maquiados. Ela lembra ainda que a trilha sonora era feita ao vivo por um pianista ou uma bandinha de músicos que acompanhavam as tensões das cenas. "Dona Vevé", como é conhecida, disse que os filmes se repetiam por varias semanas seguidas, isto porque eles vinham da capital em lombo de burros trazidos por tropeiros que comercializavam na cidade do Crato.

Mas somente no dia 03 de Junho de 1911, um Italiano de Nápoles chamado Vittorio di Maio, que visitava o Brasil e já havia inaugurado em 1897 um cinema em Petrópolis e outro em Fortaleza, inauguraria também a primeira sala de projeção do interior do Ceará, na cidade do Crato, chamada Cinema Paraíso, cujo primeiro filme exibido foi "Borboletas Douradas", e como o cinema era mudo, uma banda de música participava das sessões cinematográficas, animando o ambiente seguindo fielmente as cenas do filme. O anúncio do cartaz desses primeiros "sucessos de bilheteria" era feito da forma que anunciavam os espetáculos circenses da época: Um palhaço, e a meninada pelas ruas da cidade carregando o cartaz do dia. A criançada era marcada com tinta no pulso, valendo-lhes o ingresso gratúito para as sessões. O auditório era dividido com uma grade ( alambrado ), para diferenciar o tipo de ingresso. Desta grade para mais atrás, o ingresso era mais caro, porque neste tipo de cinema, quanto mais distante da tela, melhor era a visão para os espectadores. E para mais próximo da tela, a entrada era mais barata. Nos intervalos, enquanto as máquinas esfriavam, e eram trocados os rolos de fitas, uma banda de música tocava para os espectadores, bem como ao lado do prédio, havia também uma lanchonete.

Para comemorar os 100 anos desta data histórica, o radialista e memorialista cratense Huberto Cabral ( Foto ), elaborou um conjunto de eventos, que, promovidos pela administração municipal Samuel Araripe, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude ( Danielle Esmeraldo ), com apoio de entidades como a Universidade Regional do Cariri, Instituto Cultural do Cariri, cineastas e entusiastas do cinema, resultaram na Primeira Mostra Crato de Cinema e Vídeo, a ser realizada no Teatro Municipal Salviano Saraiva, de 13 a 18 de junho, onde serão apresentados mais de 30 filmes de cineastas cratenses ou ligados ao Crato, entre curtas e longas-metragens, além de uma pequena exposição com um histórico do cinema no Crato no Hall do teatro, onde já existem duas máquinas projetoras da época de um dos melhores cinemas da cidade, o Cine Moderno.

Na primeira noite, será feita uma leitura dramática “Os Primórdios do Cinema no Crato”, entrega do Selo Cultural do Araripe – Troféu Vittorio di Maio; Avant-Premiére do tele-conto O Cinematografo Herege, de Jefferson de Albuquerque Jr e um coquetel aos presentes. Nos dias seguintes, trabalhos de cineastas renomados como “As Sete Almas Santas Vaqueiras” de Jackson Bantim, “Corisco e Dadá” de Rosemberg Cariry; “Sargento Getúlio” de Hermano Penna, estarão lado a lado com o cinema produzido pela nova geração, como “Caldeirão do Beato Zé Lourenço” de Catulo Teles e Franciolli Luciano; “Também sou teu Povo” de Franklin Lacerda e Orlando Pereira, e “Cerca” do cineasta Glauco Vieira, além de vários outros.

Segundo a secretária de Cultura do Crato, Danielle Esmeraldo, "a Primeira Mostra Crato de Cinema e Vídeo se configura como o primeiro passo para que num esforço contínuo, se possa revitalizar o cinema Cratense, com a importante colaboração de muitos nomes que fizeram e fazem a história do cinema no Crato".

PROGRAMAÇÃO OFICIAL:

SEG 13

19h
Abertura Oficial
- Leitura Dramática “Os Primórdios do Cinema no Crato” - com Luiz Carlos Salatiel e Kelvya Maia”
- Homenageados com o Selo Cultural do Araripe – Troféu Vittorio di Mayo;
AVANT PREMIÈRE do tele-conto “O Cinematografo Herege” 30'- de Jefferson de Albuquerque Jr, numa livre adaptação do conto homônimo de José Flavio Vieira;
- Coquetel

TER 14

19h
Exibição do curta: “As Sete Almas Santas Vaqueiras” 30'- de Jackson Bantim
Exibição do Longa: “Ave Poesia” 82'- de Rosemberg Cariry”

QUA 15

9h
Exibição do Curta: “Dona Cíça do Barro Cru” 12' – de Jefferson de Albuquerque Jr.;
Exibição do Curta: “A ordem dos Penitentes” 25' - de Petrus Cariry;
Exibição do Curta: “Também sou teu Povo” 15' - de Franklin Lacerda e Orlando Pereira;
Exibição do Curta: “Água pra que te quero?” 16'- de Nívea Uchoa;

14h
Exibição do Curta: “Superação” 15' - de Franciolli Luciano e alunos da Escola Estadual Moisés Bento de Jatí;
Exibição do Curta: “Drama” 20' - de Franklin Lacerda, Ana Rosa Borges (Roteiro);
Exibição do Curta: “DZU´NHURAE - O Filho das Águas” 28' - de Pachelly Jamacaru;
Exibição do Média: “Crato” 50' - de Virgínia Soares - Produção IMAGO (URCA);

19h
Exibição do Curta: “O Auto de Leidiana” 26' - de Rosemberg Cariry;
Exibição do Longa: “Fronteira das Almas” 90' - de Hermano Penna;

QUI 16

9h
Curtas da ONG VERDE VIDA – “Mestres da Cultura” de Genivan Brasil e Paulo Fuísca. “Box de Vídeos” - Alunos do Verde Vida
Exibição do Média: “Assombrações do Cariri” 20' - Documentário de Jackson Bantim;

14h
Exibição do Curta: “Matando a Fome” 05' - de Franciolli Luciano;
Exibição do Curta: “Músicos Camponses” 12' - de Jefferson de Albuquerque Jr.;
Exibição do Curta: “Chapada do Araripe - Como foi, como será? (parte III)” 30' de Jefferson de Albuquerque Jr.;

15h10min
Exibição de Curta: “Seu Mundô – O Guardião da Floresta” 16' – de Laerto Xenofonte;
- Roda de Conversa: “Estórias de Cinema - Colóquio com cineastas, produtores, atores e cinéfilos. Reativação do Cine-clube Crato”;

19h
Exibição do Média: “Formação Romualdo, o Milagre Paleontológico”22' - Documentário de Jackson Bantim e Álamo Feitosa;
Exibição do Longa: “Corisco e Dadá” 90' - de Rosemberg Cariry;

SEX 17

9h
Exibição de Curta: “Caldeirão do Beato Zé Lourenço” 15' – de Catulo Teles e Franciolli Luciano;
Exibição de Curta: “Cerca” 15' – de Glauco Vieira;
Exibição de Média: “A Enchente do Crato” 60' - de Joaquim dos Bombons;

14h
Exibição de Média: “Lua Cambará” 60' – de Ronaldo Correia de Brito;
Exibição de Curta: “Cabaré-Memória de Uma Vida” 15' - Alexandre Lucas / Coletivo Camaradas;
Exibição de Curta: “Catadores de Pequi” 12' - de Zuiglio Brito e LaislaYanael;

19h
Exibição do Curta: “Dez anos do Chá de Flor” 15' - de Cristina Diogo e Maria Dias/Juriti Produções;
Exibição de Longa: “O Grão” 90' - de Petrus Cariri;

SÁB 18

17h
Exibição de Longa: “Sargento Getúlio” 90' - de Hermano Penna;

19h
Exibição de Longa: “Padre Cícero” 90' – de Helder Martins;

20h30min
- Encerramento

Maiores informações:

Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude
www.culturacrato.blogspot.com
Email: culturacrato@gmail.com
Rua Teopisto Abath s/n
Telefone: +55 (88) 3523-2365

Por: Dihelson Mendonça

Mostra de Teatro de Rua

Mostra de Teatro de Rua
De 13 a 17 de junho de 2011

Essa você não pode perder! De 13 a 17 de junho acontecerá a primeira edição da Mostra de Teatro de Rua, promovida pelo SESC – Juazeiro. Dezenas de atores e atrizes, além de diretores, técnicos, cenógrafos, irão transformar simples lugares de passagens, como ruas e praças, em espaços dedicados às artes cênicas.

A Mostra tem o objetivo de preservar, resgatar e incentivar as manifestações populares de rua, se apropriando do espaço público como lugar de expressão e divulgação das artes cênicas. A idéia é atrair um público que não costuma ir a teatros, e de quebra, tornar a arte mais democrática e inclusiva.

É diversão na certa!

Acompanhe abaixo a programação:

Dia 13/06
Espetáculo: Repi Bansdei Tchuiu: Feliz dia do ônibus para você.
Local: Juazeiro/Terminal de ônibus da Via Metro.
Horário: 15h30

Espetáculo: Terreiro de História
Local: Porteiras/Quadra Coberta
Horário: 14h

Espetáculo: Jujú Juazeiro
Local: Juazeiro/ Praça Pe. Cícero
Horário: 17h30
----------------------------------------------------------------------------------
Dia 14/06
Espetáculo: A vingança do Finado Joaquim
Local: Missão Velha/ Largo da Estação da Cultura Poeta Biu Pereira
Horário: 16h

Espetáculo: A Comédia da Maldição
Local: Pena Forte/ Praça Querubina Bringel - centro
Horário: 16h
-----------------------------------------------------------------------------------
Dia 15/06
Espetáculo: A vingança do Finado Joaquim
Local: Milagres/ SOAF
Rua José de Alencar, 296 Bairro Francisca do Socorro
Horário: 16h

Espetáculo: Terreiro de História
Local: Jati/ Calçadão no centro
Horário: 16h

Espetáculo: O apelo do Mosquito
Local: Juazeiro/Praça Pe. Cícero
Horário: 17h30
--------------------------------------------------------------------------------------------------
Dia 16/06
Espetáculo: A Comédia da Maldição
Local: Mauriti/ Praça da Matriz
Horário: 16h

Espetáculo: O apelo do Mosquito
Local: Barbalha/ Escola Nazinha Garcia Sampaio – Sítio Mata dos Dudas S/N
Horário: 15h

Espetáculo: Jujú Juazeiro
Local: Juazeiro/ Praça das Cacimbas
Horário: 17h30
--------------------------------------------------------------------------------------------------
Dia 17/06
Espetáculo: Repi Bansdei Tchuiu: Feliz dia do ônibus para você.
Local: Juazeiro/Terminal de ônibus da Via Metro.
Horário: 15h30

Espetáculo: O Reino Maluco de Branca de Neve
Local: SESC Juazeiro/Terreiro da M. Margarida
Horário: 14h

Espetáculo: Charivari
Local: SESC Juazeiro Terreiro da M. Margarida
Horário: 17h30

Comentário a respeito de Zé Nilton – Por Armando Lopes Rafael*



Desde que li o livro do prof. José Nilton de Figueiredo: “A (Con) sagração da vida–Formação das Comunidade de Pequenos Agricultores da Chapada do Araripe”, passei a concordar com o prof. Peter Schröder (faz tempo que não escrevia um trema, banido que foi este aristocrata acento da língua portuguesa, por conta da última reforma ortográfica)... sim, mas como ia dizendo, concordo plenamente com o prof. Peter Schröder quando ele escreveu: “A Chapada do Araripe é um mundo singular”.

Zenilton não somente se fez Mestre (literalmente) na Antropologia e Sociologia dos habitantes da Chapada do Araripe. Ele se apaixonou por aquele mundo singular.

Não somente se familiarizou com a cultura do homem araripano, mas até comprou um sitiozinho por lá – mais precisamente na Minguiriba – e dele fez seu refúgio, quando quer fugir da monotonia da agitação da cidade (e também dessa sociedade consumista, hipócrita e decadente que se tornou a conturbação Crajubar).

Zenilton é um homem feliz!

Nos últimos seis anos, fui duas vezes a Minguiriba. E pretendo voltar ainda lá, para desfrutar daquele clima ameno, dos papos com Pedro Honório e, principalmente, assistir às Renovações ao Sagrado Coração de Jesus que Zenilton promove uma vez por ano, e que termina num supimpa banquete, oferecido pelo anfitrião e sua esposa, onde se come galinha caipira transformada em cabidela, leitão assado no rolo, baião-de-dois com pequi e paçoca pilada com cebola roxa. Tudo regado com uma cerveja geladíssima ou um trago de uma caninha amarela.

Mas o melhor de tudo é ouvir a velha senhora que “tira” e a Renovação do Santo. Ela é fidelíssima ao texto religioso. Basta dizer que começa a reza lendo assim o texto: “Nihil Obsta. Publique-se. Assinado Dom Francisco de Assis Pires, bispo do Crato– Monsenhor Antônio Feitosa, Censor Diocesano, Ad Hoc, Crato 08 de dezembro de 1955”.

Um ambiente desse é de fazer inveja aos ricaços, os quais, deixando suas mansardas, vão aos decadentes clubes sociais do supedâneo da Chapada, e se entufam de uísque 12 anos, em meio às fofocas sobre a roubalheira de Palocci e lamúrias sobre a máquina voraz do governo na cobrança dos impostos?

Viva a Minguiriba!

Vivaaaa....

_________

* Esta postagem é na verdade um comentário de Armando Rafael sobre um artigo de José Nilton publicado no blog Cariricaturas. Como não tinha título, eu coloquei este. Espero que Armando aprove.


A foto mostra eu, Armando e o professor Chico Cunha na varanda da casa de Zé Nilton na Minguiriba, Serra do Araripe, por ocasião de uma das renovações que se realiza  anualmente no local.

(Carlos Rafael)

Todos à Mostra Crato de Cinema e Vídeo!


Programação da Abertura da 1ª Mostra Crato de Cinema e Vídeo


13/06, Segunda-feira

19h - Abertura Oficial

· Leitura Dramática “Os Primórdios do Cinema no Crato” - com Luiz Carlos Salatiel e Kelvya Maia”

· Homenageados com o Selo Cultural do Araripe – Troféu Vittorio di Mayo

1. AVANT PREMIÈRE do tele-conto “O Cinematografo Herege” - de Jefferson de Albuquerque Jr, numa livre adaptação do conto homônimo de José Flavio Vieira

· Coquetel