Seja colaborador do Cariri Agora

CaririAgora! é o seu espaço para intervir livremente sobre a imensidão de nosso Cariri. Sem fronteiras, sem censuras e sem firulas. Este blog é dedicado a todas as idades e opiniões. Seus textos, matérias, sugestões de pauta e opiniões serão muito bem vindos. Fale conosco: agoracariri@gmail.com

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

E A PEDRA DA BATATEIRA ROLOU...*

 Conto de Cacá Araújo
Foto: Josermano Ferreira Oliveira

Ninguém poderia jamais imaginar que uma antiga profecia indígena pudesse ser concretizada. E o mundo viu...

O relógio marcava exatamente a primeira hora e trinta e três minutos e trinta e três segundos do dia vinte e oito de janeiro do ano que todos recordam.

Um forte e valente trovão anunciou a fúria da natureza. Choveu forte. A terra tremeu, pedras e troncos rolaram nas enchentes do rio revolto que, altivo e cheio de razões, exigiu de volta seu leito violado.

Como uma sinfonia estranhamente harmoniosa, misturaram-se sons da catástrofe e o clamor do povo. E foi triste o quadro de destruição. Casas, prédios comerciais, hospitais, igrejas, escolas, praças, ruas, pontes, postes de eletricidade, carros, tudo virando escombros... E dos prédios e casas as águas expulsando móveis, utensílios, pertences, produtos diversos e gente, umas inteiras outras já aos pedaços de carne e sangue, vitimadas pela agressão do grosso caldo que tudo arrasou e arrastou.  

Foto: Cacá Araújo
Súplicas e orações e preces e ladainhas entoadas em desespero: “Meu Deus! Cristo Jesus! Minha Nossa Senhora da Penha, piedade!”, “Pai nosso que estais no céu...”, Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura, esperança nossa, salve! (...) A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas...”; “Creio em Deus Pai, todo poderoso, criador do céu e da terra...” “A nós descei divina luz...”.

Foto: Cacá Araújo

Foto: Cacá Araújo
Em meio aos estrondos e gritos e gemidos, ecoou a voz grave e temperada de pesar do ancião Cariri, ressurgido na escuridão da tempestade, trazido pelos raios vibrantes que avivavam o movimento das águas, sentado numa onda que nem subia nem caía, derramando gotas de lágrimas ancestrais:

- Viventes deste sagrado vale, provocadores da agonia e morte de muitos e milhares de antepassados, destruidores de florestas e animais, poluidores de nascentes e rios, ouçam e regravem onde couber que dissemos e avisamos há séculos que uma baleia por nós encantada ternamente dormia em sua cama de paz, escorando uma enorme pedra que tapava o grande e majestoso rio que vivia na barriga da Serra do Araripe. Criminosos, exploradores, especuladores! A desgraça que se abate sobre esta terra é uma resposta, uma reação aos desmandos... Vocês espremeram nossas águas num estreito e aleijado canal onde lançam seus esgotos e fezes. Queremos a vida de volta! Saiam do caminho, não se oponham à natureza e permitiremos que vivam os que escaparem da provação de hoje!

Naquele momento, a baleia já acordada se esticou como se espreguiçando e se debateu sacudindo a cauda e desgrudando totalmente o corpo da conhecida Pedra da Batateira. Uma nunca antes vista avalanche de água atirou-se com pedras e troncos sobre a região, quebrando o que restava de inteiro, inundando o que ainda estava às vistas, derribando monumentos heréticos, afogando e rasgando corpos de crianças, homens, mulheres, velhos e velhas, todos que estavam no caminho. Cumpriu-se, então, a profecia, e o sertão virou mar...

Ao cabo de trinta e três dias, as águas do rio baixaram, acomodadas que estavam no seu antigo e vasto leito. Peixes alegremente correndo correnteza acima e abaixo...

Foto: Cacá Araújo

Foto: Cacá Araújo
Num raio de pelo menos cinqüenta metros de cada margem restavam sinais da luta divina. Uma criança se aproximou vindo de longe. Achou um tênis que pertencera a alguém, uma chinela que um dia vestiu algum pé, uma camisa pequenina que havia agasalhado um bebê que se fora nas enchentes. Foi andando, brincando, até que ouviu vozes suaves e meigas em coro balbuciando uma cantiga de ninar. Pôs os pés na água, lavou o rostinho sereno e acompanhou o cântico, tendo ouvido, ainda, um último ressonar da baleia que voltara a dormir guardando águas...      

Foto: Cacá Araújo

Foto: Cacá Araújo

Cacá Araújo
Professor, Poeta, Folclorista, Dramaturgo, Ator e Diretor de Teatro
Diretor da Cia. Cearense de Teatro Brincante
Crato-Cariri-Brasil,18h31min. do dia 30bde janeiro de 2011.


* Alegoria da lenda cratense da Pedra da Batateira, no contexto da última enchente do Canal do Rio Grangeiro, em Crato-CE, na madrugada do dia 28 de janeiro de 2011, que provocou grandes perdas para a população, não havendo, felizmente, nenhuma morte. Este pequeno conto é um alerta à sociedade e aos gestores públicos, especialmente em níveis estadual e federal, que detém recursos e meios necessários à solução definitiva dos problemas relacionados
ao referido rio.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Demutran bloqueia acesso de veículos ao centro da cidade para agilizar retirada de entulhos

http://1.bp.blogspot.com/_WY3qKeZY6L0/TUa3h2WRJnI/AAAAAAAAVDI/JcRrnMxuU7A/s1600/Img_3527.jpg

E ATENÇÃO...


O Demutran ( Departamento Municipal de Trânsito ) de Crato, pede a todos os proprietários de veículos automotivos que evitem trafegar até o centro da cidade. Durante tempo indeterminado, as ruas centrais do Crato estarão sendo bloqueadas completamente, a fim de que os caminhões e tratores da limpeza possam retirar o entulho deixado pela enchente do último dia 28 da maneira mais rápida possível.

Outro fator que contribuiu para essa decisão é o perigo representado pelas pontes, que ainda estão passando por uma avaliação técnica, a fim de se saber se podem ainda serem consideradas seguras para o tráfego pesado. O Governo Municipal está hoje com cerca de 150 homens trabalhando no sentido de agilizar a liberação do centro. Foram também convocados a Guarda Municipal e o Ronda do Quarteirão para dar apoio, já que o próprio Demutran não dispõe de efetivo suficiente para o controle de todas as ruas centrais.

As avenidas Pres. Kennedy e Getúlio Vargas, ambas ladeiras, continuam com o tráfego interrompido próximo às pontes, e mesmo o trajeto nas marginais do canal do rio grangeiro é precário e com muita lama ainda.

O governo do Crato solicita a compreensão da população para os próximos dias, já que essa decisão é por tempo indeterminado, até que todo o entulho seja recolhido e as pontes liberadas. Pede ainda que evitem trazer seus veículos ao centro, pois o estacionamento que já era precário, devido à quantidade de automóveis, agora ficará praticamente inexistente. Os moradores do Bairro Seminário e Vilalta que desejarem se deslocar com seus veículos até certas áreas próximas ao centro, deverão usar a Av. Thomaz Ostherne de Alencar ( perimetral ), ou contornar o bairro seminário, descendo pela ponte das piabas ( ponte de bia ).

O Demutran agradece a compreensão de todos e informa que estará trabalhando no sentido de minimizar os trantornos e agilizar a liberação do centro da cidade.

Edição: Dihelson Mendonça

UM AVISO AO PESSOAL DA ASFAC

Pedro Esmeraldo

Hoje estava observando uma crônica do cratense amigo José do Vale Pinheiro Feitosa, intelectual residente no Rio de Janeiro, que fez elogios a minha pessoa, pelos quais expresso meus sinceros agradecimentos.

Quisera que houvesse outras pessoas de sua estirpe que viessem ajuntar-se a todos aqueles que desejam modificar o pensamento dos políticos desta cidade, para que tenham a capacidade de governar o Crato com objetividade e amor à terra comum.

Infelizmente, hoje aparecem um bando de aventureiros que só pensam neles mesmos, esquecem a cidade como um todo e procuram entregar-se a uma horda de desinteressados que por ora tomam conta da cidade, desviando do apoio do povo que lhe favoreceu na campanha eleitoral.

Ninguém pensa em solucionar os problemas que há em áreas de risco, como: as casas construídas nas encostas dos morros e das voçorocas, provocadas pelas águas pluviais que constantemente ocorrem nos períodos de chuvas torrenciais, ou seja, de fevereiro a março, que deixa todo mundo preocupado por medo do desabamento de suas residências.

Por isso, alertamos as autoridades com frequência para que cuidem com os poderes centrais a fim de sanar esse problema desta cidade.

Por esse momento, aguardo que hajam outros defensores do tipo José do Vale, Wellington Alves, Armando Rafael, Jurandir Temóteo e outros que deixamos de mencionar por não lembrar neste momento, mas com toda certeza aparecerão outros com muita confiança e arrojo para defender a terrinha esquecida e modificar o comportamento desses políticos junto à sociedade. Com o pensamento positivo elevem a cidade reconquistando todo patrimônio perdido por falta de orientação técnica e não tiveram o pensamento voltado para o futuro.

Desejo oferecer esta crônica ao pessoal da ASFAC (Associação dos Filhos e Amigos do Crato) que não se movimenta com expressão de força de trabalho para defender o Crato com sentimento de afeto já que, nessa ocasião, a cidade precisa de uma reação singela a fim de manifestar-se juntos as pessoas que praticam reação isolada, mas possuem poucos adeptos que só se estacionam em barcos frágeis que mal segura em águas brandas e não atinge as expectativas de trabalho unido e o desejo de expansão econômica e cultural desde município.

Crato-CE, 27/01/2011.

domingo, 30 de janeiro de 2011

O Plástico - Roberto Jamacaru

Desculpe, amigo, se te alcançamos tão pouco.
Bem que queríamos, mas voar na tua imaginação era privilégio dos Deuses da criação.
Tu que vivias um mundo à parte, num plano irreal, com certeza tinhas razão para rir da maneira que rias; para criar do jeito que criavas e imaginar com a riqueza que imaginavas.
Dizem que nos píncaros montanhosos é onde corre a melhor das brisas, mas alcançá-los e senti-las fica para os libertos de espírito que têm na essência artística a verdadeira visão da vida. Tu, no entanto, diferentemente de nós, vagavas costumeiramente no mais alto desses montes.
Quantas e quantas vezes olhamos para ti e vimos o teu corpo em movimento a sorrir marcando presença entre nós, mas, nessa mesma hora, quantas e quantas vezes foi impossível alcançar o vôo da tua imaginação. Estavas, como sempre, em outra dimensão, no além mar, no além céu, no além cosmo, no além espírito, mas sempre perto de Deus.
Era dessas esferas imaginárias que tuas atitudes carinhosas nos surpreendiam. Sempre fomos todos rasteiros em relação a ti, quando o assunto era criatividade e imaginação, enfim, quando o assunto era a arte.
Meu caro poeta das cores e formas, como nos impressionava ver teus pincéis bailarem na brancura de uma tela, definindo e redefinindo o concreto e o abstrato; o belo e o feio; o triste e o alegre com tanta harmonia.
Para “nosotros”, meros grafiteiros de mentes plebes, isso era mágica.
Nas tuas galerias havia olhos que falavam;
Vestes que desnudavam;
Silêncios que protestavam;
Mudez que gritava;
Passos que voavam
E choros que riam.
A tua arte falava mais que mil palavras;
Protestava mais que mil revoluções;
Coloria mais que mil arco-íris;
Embelezava mais que mil arranjos.
De tanto mexer na dramatologia do real com o imaginário, levando-nos ao delírio da contemplação, um dia resolveste fazer parte do sonho.
Assim, moldurado nos teus próprios quadros, nas paredes de nossas vidas, ficastes exposto para sempre, reluzente e colorido, a nos adornar na alegria de tuas fantasias.
Na tua última homenagem, o teu corpo, em cinzas, foi lançado sobre o solo dos antigos índios guerreiros, habitantes do misterioso vale do Quixará.
Eras um artista plástico.
Em telas plásticas pintavas a vida.
Um dia viraste tinta, na imagem te confundiste, e aí, na imortalidade da própria arte, renasceste para sempre.

Tributo ao Artista Plástico, natural de Farias Brito no CE.
- Normando Rodrigues –

SOLIDARIEDADE COM OS CRATENSES

Dois dias depois - Emerson Monteiro


No jornalismo, notícias são acontecimentos de interesse público divulgados pelos meios de comunicação de massa, e existem formas de avaliar a importância das notícias conforme a sua relevância. Uma dessas formas é a proximidade. Entre duas notícias, uma sempre melhor atende a esse requisito de tocar mais de perto a comunidade.
Enquanto avistávamos, no Cariri, as catástrofes climáticas ocorridas em cidades do Rio de Janeiro, as notícias guardavam proporção considerável, porém representavam marcas noutras populações afastadas geograficamente falando. Agora, contudo, diante da cheia desproporcional do Rio Grangeiro, a força das águas nos mostrou outras dimensões, em face da ligação imediata do acontecimento.
Esta madrugada, dois dias depois, circulando nalgumas avenidas que margeiam o Canal e ruas circunvizinhas ainda em fase de arrumação, avaliei de perto a dimensão do fenômeno meteorológico que confrangeu toda a cidade de Crato na madrugada do dia 28 de janeiro de 2011.
A imagem principal da cena deixa às claras o risco constante que representa, a curtos e longos prazos, viver exposto à imprevisibilidade natural de possibilidades antes anunciadas. Longe dos brados alarmistas ou lendários, domar rio de tamanha impetuosidade torna-se, de hoje adiante, o fator determinante das administrações, independente do que passou, perante as transformações causadas pela ação do homem nas encostas da serra nestes dois séculos de aproximação.
Olhar o assunto de frente, encontrar a solução de engenharia que ultrapasse apenas os sintomas e siga direto à base do problema, sem contemporizar, porquanto a tensão persistirá em graus adiantados durante as fases invernosas do futuro. Interessa, pois, a todos, superar os limites desta herança histórica da localização do núcleo urbano que tanto admiramos e queremos.
Somar a potencialidade dos cidadãos e reconstruir as esperanças da tranquilidade sob outros prismas, na vontade política de uma gente trabalhadora e pacífica, civilizada, respeitada na história e dotada de cultura, cheia de boa vontade e amor pela terra em que vivemos nossas vidas. Despertar as novas energias da autoestima para preservar a natureza em volta com equilíbrio e inteligência.
Existirá, com certeza, solução adequada e coerente, desde que se saiba encaminhar estudos e as providências certas.

sábado, 29 de janeiro de 2011

CRATO - ANATOMIA DA RECONSTRUÇÃO

O que a Administração do Crato está fazendo para ajudar as vítimas da tragédia

Img_3539

Na foto acima: Tratores removem entulhos deixados pela enchente do canal do Rio Grangeiro

Logo que parou a chuva de 162mm ( 200mm no Grangeiro ), que se abateu sobre a cidade de Crato no dia de ontem ( 28 ), o governo municipal formou uma equipe de emergência, que contou dentre outras pessoas, com os secretários: Christiano Siebra ( Administração ), Dr. Nivaldo Soares ( Meio-Ambiente e Controle Urbano ), Procópio da Silveira ( SAAEC ), Joatan ( chefe do Demutran ), Davi Cariri e Erico Felício Callou, que se reuniram no paço municipal, sob a coordenação do prefeito Samuel Araripe para traçar diretrizes urgentes para o longo dia que se seguiria.

Uma frota de tratores e caminhões totalizando mais de 30 máquinas pesadas, em que contaram com a ajuda de empresários locais que num gesto de solidariedade, disponibilizando maquinário pesado, seguiram imediatamente para as áreas afetadas do município, a fim de remover o entulho. O Demutran agiu rápido e bloqueou as ladeiras da Vilalta e do Bairro do Seminário nas primeiras horas da manhã, a fim de que as máquinas pudessem desobstruir e garantir a segurança das pontes e ruas. Ao mesmo tempo, foram formadas 10 equipes multidisciplinares distribuídas por todo o município a fim de coletar dados da destruição para que se avaliem a profundidade dos estragos e se pudesse tomar providências.

Já nas primeiras horas da manhã, foram distribuídas pela Secretaria de Ação Social, cerca de 250 cestas básicas para as famílias atingidas, e reunidos 4 caminhões-pipas para levar água potável às comunidades. Equipes formadas por assistentes sociais uniram-se para atender a população, levando atendimento médico, psicológico e humanitário para as vítimas da enchente.

Secretário de Administração Christiano Siebra fala ao Blog do Crato sobre as providências imediatas

"Desde as primeiras horas da manhã a municipalidade agiu em ações de infraestrutura, em ações de humanização, levando os assistentes sociais, e toda a equipe de infraestrutura para atender as famílias que estavam em situação de risco e mais de 10 equipes multidisciplinares estão distribuídas em todo o município, espalhados pelos bairros com a finalidade de levantar dados da destruição e que áreas foram afetadas.

Um dos objetivos primordiais da administração é primeiro atender às famílias que estavam em situação de risco. Dar condições de que elas tenham atendimento médico, atendimento social, psicológico, para isso a secretaria de ação social colocou todo o seu corpo técnico para atender a essas famílias, inclusive alojando em casas apropriadas, para poder fazer com que minimizem os danos causados por essa chuva.

Outro ponto importante a se destacar são as ações de infraestrutura que a gente vem desenvolvendo dentro do município com intuito de retirar toda a terra, a lama, e recuperar o canal do Rio Grangeiro. Temos recebido apoio dos empresários locais que colocaram todos os seus equipamentos, maquinários, à disposição do município, solidarizando com essa ação de humanização e levar conforto e condições para estas famílias que estão desabrigadas.

O Prefeito Samuel Araripe em 2005, ao assumir a prefeitura do Crato trouxe o plano de requalificação urbana do município, em que um dos principais projetos contempla a construção de pequenos açudes urbanos que tem a finalidade de conter toda essa água que vem escoando pelo rio, chapada e termina nas ruas do município. Dr. Procópio esteve na semana passada em Brasília batalhando recursos para por em prática esse e outros projetos para o canal do Rio grangeiro previstas no Plano de Requalificação urbana.

A SAAEC, através de Dr. Procópio da Silveira, colocou à disposição do município 3 caminhões pipas para levar água potável para as famílias, e o corpo de bombeiros tem ajudado nesse sentido. A secretaria de infraestrutura adicionou outro caminhão pipa, e temos hoje 4 caminhões pipas levando água potável. Segundo informações já recebidas, Dr. Procópio afirmou que em pouco mais de 4 horas, nós estaríamos com o sistema de abastecimento d´agua regularizado na cidade.

A secretaria de meio-ambiente e a defesa civil do município estão em campo ainda coletando os dados e algumas equipes já voltaram com algumas informações, então a gente vai reunir todas essas informações e será realizada uma coletiva de imprensa hoje ( 29 ) Sábado, às 10:00 no salão nobre da Prefeitura Municipal do Crato."

Img_3526

Na foto acima: Caminhões-Pipa distribuem água potável nas áreas atingidas


Img_3581

Na foto acima: Dr. Nivaldo Soares, Secretário de Controle Urbano recebe relatórios dos emissários para avaliar a extesão da tragédia.


Img_3567

Nas primeiras horas da manhã, prefeito Samuel Araripe se reúne com secretários para discutir ações durante o dia.

Img_3592

Final de tarde: Prefeito Samuel Araripe recebe governador em exercício, que veio ao Crato visitar áreas afetadas e discutir recursos para a reconstrução do Canal do Rio Grangeiro:

Img_3590


Img_3600

Na foto acima: Dep. Zé Arnon, Cratense, traz solidariedade às famílias desabrigadas, aos que tiveram prejuízos com a enchente e se compromete junto ao governo federal a trazer verbas para solucionar o problema.

Img_3468

Acima: Enquanto isso, uma frota de tratores e caminhões rapidamente eliminam o entulho deixado pela enchente. Ao final do dia, várias ladeiras da cidade já estavam com o tráfego liberado.

Img_3643

Na foto acima: Assistentes Sociais atendem áreas afetadas pela enchente

Dr. Nivaldo Soares, Secretário de Meio-Ambiente e Controle Urbano fala ao Blog do Crato

"Pela primeira vez aqui no Crato que eu vejo uma coisa tão forte neste aspecto da colaboração de vários cidadãos do Crato para se minimizar os efeitos dessa catástrofe."

Nivaldo Soares

"Dihelson, a prefeitura logo cedo convidou os seus secretários e demais servidores para agirem, e foi montado todo uma estratégia de trabalho, então nós temos cerca de 10 equipes com profissionais de áreas diferentes pra agir em vários pontos do município, principalmente na cidade onde aconteceram os fatos mais graves, e a gente tá agora aguardando aqui o levantamento. Algumas equipes já trouxeram alguns dados pra gente ter um resultado final em números de quanto foi esse lamentável prejuízo que se abateu sobre toda uma população do município do Crato e também, para o setor público.

Um fato que a gente tem que registrar, aliás, são vários fatos, mas um deles é a rapidez com que o município está conseguindo tirar todo o material que foi arrastado por essa avalanche , que a gente assim pode chamar, que desceu do Rio grangeiro, e é uma limpeza que está acontecendo muito rápido, que são vários caminhões trabalhando, várias máquinas enchedeiras tirando, lavando, limpando as ruas do Crato e isso e esses equipamentos são equipamentos do município, mas também e acima de tudo, de empresários das mais diversas áreas daqui do município do Crato que dispõe desses equipamentos, que disponibilizaram máquinas, caminhões pra que essa limpeza acontecesse de forma rápida. Então, de várias formas, as pessoas se manifestaram, e instituições, apoiando as ações que estão sendo realizadas no sentido de primeiramente limpar a cidade. Evidente que as pessoas das áreas atingidas tem equipe trabalhando, levando para hospitais onde recebem todo o tratamentoi necessário, mas as pessoas até com a necessidade de ter um alimento, a prefeitura está disponibilizando em alguns casos, cestas básicas, mas enfim, a solidariedade é bastante forte e interessante, que pela primeira vez aqui no Crato que eu vejo uma coisa tão forte neste aspecto da colaboração de vários cidadãos do Crato para se minimizar os efeitos dessa catástrofe."

Prefeito do Crato, Samuel Araripe fala sobre as providências que estão sendo tomadas

Em entrevista ao Blog do Crato na tarde de ontem, o prefeito do Crato, Samuel Araripe, depois de receber a comitiva do governador em exercício, que veio constatar In Loco os principais pontos atingidos pela enchente do canal do Rio Grangeiro, falou sobre os procedimentos que estão sendo tomados num primeiro momento e a médio prazo:

"O próximo passo é redigir um documento expondo efetivamente quais são os prejuízos. Tem aqui 10 equipes percorrendo a cidade, inclusive na zona rural, para ver realmente qual o tamanho do prejuízo, que nós já sabemos que é imenso, mas não temos a precisão. Feito esse estudo, muito em breve nós vamos redigir um documento oficial e passar uma cópia ao governo do estado e ao governo federal ( Avadã ) e pedir que os governos a partir de um levantamento preciso de quantos imóveis caíram, qual é o prejuízo do canal, quais são as ruas afetadas, nós já sabemos que mais de 500 imóveis foram afetados ( particulares ). E graças a Deus, até o presente momento não temos notícias de óbitos, mas as equipes estão percorrendo... a coisa foi assim muito rápida, ontem estávamos em Fortaleza reunido com o Governo do Estado, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil exatamente discutindo as forças-tarefa para enfrentar o inverno. Onte. A reunião foi ontem. Hoje acontece uma coisa dessas, mas a gente tem recebido uma solidariedade imensa. Tem mais de 30 máquinas pesadas trabalhando aqui no Crato da iniciativa privada, muitas delas. Espontaneamente, os construtores, o pessoal da cerâmica, e tem mais de 200 homens fazendo a limpeza da nossa cidade. O município não tem recursos para recuperar tudo isso, infelizmente. Então nós temos é que procurar o governo e de logo, já agradecer, porque estivemos de manhã com o governador, e agora nesse exato momento ele já se encontra aqui com o secretário Camilo Santana das cidades, o chefe de Gabinete Ivo, e eu tenho certeza que o governo do Estado e o governo Federal vão nos ajudar."

Reportagem: Dihelson Mendonça

Governador em exercício vê estragos no Crato

O governador em exercício do Ceará, Domingos Filho, esteve no fim da tarde de ontem, no município do Crato, acompanhado do secretariado de governo, para verificar de perto os estragos causados pelas chuvas ocorridas durante a madrugada de sexta-feira na cidade, provocando um rastro de destruição por vários trechos.

A primeira área visitada por Domingos Filho, acompanhado do prefeito municipal, Samuel Araripe, que decretou situação de emergência no início da manhã, foi na ruas José Alves de Figueiredo com a Nossa Senhora de Fátima, onde várias casas foram invadidas pelas águas e o Canal do Rio Grangeiro, que corta a cidade, ficou parcialmente destruído.

Em seguida, o governador pediu para ser levado aos locais onde houve desabamentos de residências. Segundo Domingos Filho, entre as providências iniciais, diante da calamidade, está a de socorrer as famílias desabrigadas.

Ajuda - Segundo a Ação Social do município, são 50 famílias que estão sendo encaminhadas para o projeto ABC, no bairro Alto da Penha. As pessoas estão recebendo assistência médica, além de marmitas e cobertores. Algumas das famílias decidiram ir para casa de parentes e amigos.

"O governo do estado quer ajudar o povo do Crato nesse momento de dificuldade", disse Domingos Filho. A Avaliação de Danos (Avadan), conforme ele, vai definir as outras prioridades. O governador também esteve acompanhado de técnicos do Departamento de Edificações e Rodovias (DER) e de agentes do Corpo de Bombeiros, além da Defesa Civil, para definir agenda de trabalho. Ele justificou a ausência do governador Cid Gomes, que está no exterior.

Fonte: Diário do Nordeste

UM POLÍTICO FANFARRÃO

Pedro Esmeraldo

Hoje pela manhã, em um dos cafezinhos da cidade, encontrei com um senhor fanfarrão pertencente à classe política local, gesticulava com muita loquacidade, elogiando a cidade de Campina Grande, porém esquecia de enaltecer a sua terra.

Confrontava aquela cidade, comparando-a aos grandes centros urbanos do mundo civilizado. Dizia que era uma cidade que se enquadrava aos grandes centros da civilização mundial.

Muito bem, retruquei: aceito sua idéia, porém não concordo totalmente com suas palavras porque, para igualá-la aos grandes centros do mundo desenvolvido, convém notar que há muito a desejar, pois aquela cidade está encravada na Região Nordeste e por isso está enquadrada numa região quase subdesenvolvida e que ainda não saiu do regime arcaico pertencente ao passado.

Muito exaltado e admirador do crescimento desinibido, pois ainda narrava que os empresários de lá eram ativos e não se acomodavam com pouca coisa, visto que quando apareceu a praga do bicudo que dizimou a produção algodoeira, eles, os empresários campinenses, não abandonaram a sua cidade e procuraram expandir com outras atividades, investindo principalmente na pecuária e outras “atividades correlatas”, procurando engrandecer sua terra sem abandonar.

Após sobressaírem-se com uma saraivada de protestos, elogiou os empresários e procurou enaltecer os políticos, pois assim afirmava que para se ter o desenvolvimento de uma cidade, não precisava de político, mas sim de trabalho de seus empresários.

Continuando com a conversa, dizia que a culpa do arrefecimento do Crato coube à falta de interesse dos filhos da terra, já que não valorizaram a sua cidade e foram investir em outras plagas mais desenvolvidas.

Desejando proteger os políticos da terra, afirmava que a culpa do esvaziamento do Crato não era dos políticos, mas sim dos empresários.

Afirmando com todas as forças das minhas cordas vocais, aviso pra esse senhor: todos os políticos tem que lutar fortemente com o povo e acelerar o engrandecimento, trazendo infra-estrutura diversa a fim de equilibrar o poder econômico com o crescimento favorável, a criação do emprego e renda.

Assim creio eu, para impulsionar o crescimento da cidade, precisa primeiramente o povo evoluir e juntar a sociedade com esforço e luta permanente, com união e evitando o mexerico, formando um grupo interessado que possa trabalhar pelo bem de sua comunidade.

Também quero lembrar que o povo ainda não está esquecido da falta de objetividade de um senhor que dirigia o Crato e que chegou a negar um terreno adequado para ser instalada aqui uma escola de nível superior. Esse senhor, pertencente a era trogloditiana, virou as costas para esse empresário com indiferença sem dizer porque razão negava esse benefício ao Crato.

E agora vejam senhores a razão da falta de interesse dos empresários em não acelerar o desenvolvimento desta cidade por que houve a falta de amor e também por falta de capacitação desse pessoal que quer ser político sem ter condição moral e intelectual para dirigir este município.

Fiquem sabendo senhores que a causa da moralização da expansão progressiva do Crato é proveniente da falta de interesse desses políticos cafonas que não querem praticar mudanças com seriedade e que não aceitam a permanência da juventude e dos homens sérios comandando a política cratense.

Crato-CE, 27 de Janeiro de 2011.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Tromba d´água em Crato - Emerson Monteiro


Após manhã e tarde de sol intenso, a noite de 27 de janeiro de 2011 também se mostrou de tempo aberto e estrelas no céu. É tanto que, às 20h15, estávamos, Igor e eu, nas arquibancadas do Estádio Mirandão assistindo à partida de futebol entre o Crato e o Ceará, pelo Campeonato Cearense. Durante o jogo, no entanto, abriam alguns relâmpagos baixos para os lados do Nascente e do Norte. Ao final, o time cratense saia derrotado pelo placar mínimo.
Recolhera-me às 22h20, observando a preparação de chuva nos sinais do vento e nos relâmpagos por cima da serra, para as bandas de Pernambuco, donde, conforme minhas experiências pessoais de poucos anos, vêm ao vale chuvas de mais intensidade.
Assim, durante a madrugada desse dia 28 de janeiro, acordaria por cinco vezes, considerando relâmpagos e trovões em larga quantidade, mantidos na pancada constante de fortes precipitações, qual ainda não se deu na presente quadra invernosa.
Choveu a madrugada inteira, chuva grossa e persistente. Algumas vezes cortou a corrente elétrica, o que de comum acontece nas situações de muitos raios.
Pela manhã, ao sair para levar as meninas ao colégio, apenas neblinava pouco, no entanto o chão encharcado transparecia o quanto chovera além da conta na madrugada.
Pelos estragos que encontraríamos no percurso da descida, imaginamos as consequências logo em seguida presenciadas às margens do canal do Rio Grangeiro, dentro da cidade.
De máquina em punho, sai fotografando desde a ponte da Integração, próxima à igreja de Nossa Senhora da Conceição, até o término do Canal, imediações do Presídio, num rastro de destruição que jamais verificara nesses 50 anos.
Postes arrancados pelo tronco, carros arrastados na correnteza e jogados contra muros e calçadas, casas invadidas, asfalto eliminado ou levantado, portões de ferro arrombados, prédios em ruínas, móveis encharcados, pontes de ferro destroçadas, pontes de cimento e ferro abaladas nas estruturas, ou com varandas zeradas e substituídas de entulhos, árvores inteiras trazidas na força das águas, e, à medida que desci com lama nos tornozelos, num exercício de equilíbrio e paciência, após a Prefeitura, entrei na Rua Monsenhor Esmeraldo, onde funcionam armazéns de estivas e cereais e outras casas de comércio, testemunhando sempre os danos provocados pela violenta enchente. Houve comércios que registraram por volta de um metro e meio d´água dentro dos estabelecimentos a dezenas de metros do rio. Devido aos riscos da cheia no interior do Presídio, os detentos foram deslocados para Juazeiro do Norte.
A intensidade das chuvas da madrugada chegou a 163mm no centro de Crato, porém escoaram pelo Rio Grangeiro inclusive as chuvas das encostas da Serra, onde estimam-se maiores as precipitações, acima de 200mm, isto para um curto tempo de quatro horas, na ação do fenômeno atípico.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

FESTA BREGA ROCK STYLE


A banda nasceu em novembro de 2006, quando cinco roqueiros que tocam em bandas de João Pessoa - PB, resolveram montar uma banda onde o seu repertório fosse recheado da bela música brega, da jovem guarda e claro, do Rei Roberto Carlos com seus sucessos dos anos 60/70,. Su estilo foi auto-intitulado como sendo "Brega Rock Style".

Os Caronas interpretam as músicas com muito respeito e admiração. Eles fazem pequenas alterações nos arranjos das músicas, mas, sem jamais fugir da idéia principal que o autor quis passar através da sua arte. O objetivo da banda é executar da melhor maneira possível, canções que marcaram um período da música popular romântica (nostalgica) brasileira.

A abertura da festa vai ficar por conta da banda "RED STEEL" de Juazeiro do Norte, que promete agitar a galera com belas canções do rock nacional.

CRATO - Notícias do Dia 27 de janeiro de 2011


Prefeito do Crato inaugura Posto de Saúde de Dom Quintino, no sábado

O prefeito do Crato, Samuel Araripe, inaugura no próximo sábado, no distrito de Dom Quintino, às 19 horas, o Posto de Saúde da localidade. O governo cratense investiu cerca de R$ 200 mil na construção do novo posto e irá dotar outras localidades do município de equipamentos de saúde do mesmo porte, no intuito de fornecer uma boa estrutura para atenção básica. A solenidade de entrega do Posto de Saúde terá a presença do Secretário de Saúde, Cícero França, além de secretários municipais, profissionais de saúde e a população local. No último dia 19, o prefeito assinou ordem de serviço para construção do Posto de Saúde São Miguel, no valor de R$ 250 mil, e que já teve a construção iniciada.

Defesa Civil em Crato realiza monitoramento diário

O governo do Crato está realizado monitoramento diário das áreas de risco do município. A equipe que forma a Defesa Civil do Estado e Município, incluindo Corpo de Bombeiros, Ação Social e Secretaria de Infraestrutura, visitou durante a manhã de ontem seis famílias. O trabalho conta com acompanhamento de engenheiro, que faz a verificação das condições das moradias. O monitoramento das áreas de risco tem registro feito por meio dos Centros de Referência em Assistência Social – CRAS, instalados em vários bairros do município. Ontem, as visitas foram feitas principalmente em virtude das chuvas dos últimos três dias na cidade.

Edital para premiação das escolas de samba será publicado hoje

A administração Samuel Araripe inicia um trabalho pioneiro para oferecer um carnaval de melhor qualidade para o Município do Crato. Será publicado pela primeira vez, hoje (27), no Diário Oficial do Município e no site da Prefeitura, edital de premiação para as escolas de samba da cidade terem a oportunidade de participar do desfile oficial. De acordo com o edital, o primeiro lugar irá receber de premiação R$ 2.500,00; o segundo lugar, com R$ 1.500,00 e o terceiro lugar com R$ 1.000,00. A Secretária de Cultura, Esporte e Juventude, Danielle Esmeraldo, afirma que além da premiação será dado um apoio às escolas, como forma de fornecer maior suporte às agremiações. Em contrapartida, ela afirma que está sendo efetivado o compromisso de oferecer um carnaval de maior nível e qualidade. O próprio edital, conforme a Secretária, estabelece por meio de um regimento, normas a serem cumpridas, já que os integrantes das escolas terão que prestar contas dos compromissos assumidos. Serão cinco escolas de samba participando, e, a partir da próxima segunda-feira, já estarão fazendo suas respectivas inscrições para iniciar o processo. O Desfile das Virgens, que abre o carnaval do Cariri, acontece na sexta-feira, e também contará com apoio do governo municipal, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude.

Equipe de reportagem da TV Assembléia mostrará potencial turístico do Crato

Uma equipe de reportagem da TV Assembléia se encontra no município do Crato realizando reportagem sobre o potencial turístico da cidade até a próxima sexta-feira. A reportagem vai ao ar no Programa Municipal, apresentado pela repórter Sueli Frota, que está em campo realizando levantamento de informações e imagens para a reportagem. Vários aspectos serão levantados pela equipe da TV Assembléia, a exemplo do potencial de desenvolvimento econômico da cidade, com toda infraestrutura turística, cadeia de hotéis e restaurantes, equipamentos culturais, ecologia, balneários, e também os grupos de tradição popular. A reportagem vai ao ar pela TV Assembléia, do Ceará, na próxima terça-feira, a partir das 21 horas, e, aos domingos, com reprise, às 23 horas.

Obras de arte recuperadas estarão em exposição

Será realizada no próximo dia 30 de janeiro até 3 de fevereiro, Exposição das Obras do Museu de Arte Vicente Leite. Com o acervo restaurado, a exposição será realizada no Hall de entrada do Teatro Municipal Salviano Arraes Saraiva, com abertura às 19 horas do dia 30. Todo o material irá compor o Museu de Artes Vicente Leite, do qual faz parte o acervo a ser exposto. A Exposição será realizada por meio da Fundação Cultural J. de Figueiredo Filho e da Prefeitura Municipal do Crato.

Meio Ambiente realiza fiscalização contra ocupação das ruas

A Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano do Crato está intensificando os trabalhos de fiscalização, no intuito de combater a poluição e ocupação indiscriminada das ruas da cidade por entulhos. Um dos objetivos é promover a educação ambiental e sensibilizar a população, além de fazer cumprir a legislação ambiental. Este ano, já foram autuadas mais de 20 pessoas. A legislação ambiental estabelece que as ruas devem estar desobstruídas, além de coibir a ocupação das calçadas e vias públicas com lixos e material de construção. As pessoas que não cumprirem a lei serão notificadas e, ao persistir no erro, serão penalizadas com multas que variam de 10 a 30 mil UFIR- Unidade Fiscal de Referência.

Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal do Crato
www.crato.ce.gov.br
http://www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Crato-CE-Brasil: Obras de arte recuperadas estarão em exposição


Será realizada no próximo dia 30 de janeiro até 3 de fevereiro, Exposição das Obras do Museu de Arte Vicente Leite. Com o acervo restaurado, a exposição será realizada no Hall de entrada do Teatro Municipal Salviano Arraes Saraiva, com abertura às 19 horas do dia 30. Todo o material irá compor o Museu de Artes Vicente Leite, do qual faz parte o acervo a ser exposto. A Exposição será realizada por meio da Fundação Cultural J. de Figueiredo Filho e da Prefeitura Municipal do Crato.

Fonte:
Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal do Crato
www.crato.ce.gov.br 
http://.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com 

Pensamento para o Dia 26/01/2011


“Atualmente, as pessoas pensam erroneamente que a espiritualidade não tem relação com a vida mundana, e vice-versa. A Divindade verdadeira é uma combinação de espiritualidade e obrigações sociais. A unidade nacional e a harmonia social são baseadas em espiritualidade. É o Divino que une a espiritualidade e a existência social. O Criador e a Criação (Prakriti) estão intimamente associados um com o outro. Portanto, Deus não deve ser considerado como separado da Criação. Veja Deus no cosmos. Por exemplo, tome um copo de prata. Aquele que percebe a prata no copo, só pensa na base material e não na forma do copo. Aquele que o vê como um copo não pode notar que ele é feito de metal prateado. Só a pessoa que pode reconhecer prata e o copo pode reconhecer que é um copo de prata. Da mesma forma, sem Deus, não há criação. No entanto, a maioria das pessoas vê apenas a criação, muito poucos reconhecem que a criação é uma projeção do Criador. É essencial que todos os seres humanos percebam que sem Deus não pode haver cosmos.”
Sathya Sai Baba

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O espelho deste mundo - Emerson Monteiro


Quem quer saber o que seja o mundo, olhe lá dentro de si e verá apenas o reflexo do que queremos para as ações diárias. Ninguém espere resultado diferente do que aquilo que produz. Por isto, nada de esperar seriedade na política sem participar do processo político na altura certa das oportunidades oferecidas todo tempo através das democracias.
Postular segurança pública e correr léguas do convívio da própria comunidade em que vive demonstra contradição. Reclamar da sorte refugiado por trás de muralhas invioláveis, enquanto drogas e armas correm soltas nas madrugadas, destoa do dever. Falar em união de todos e eximir-se do mínimo em aproximação com os demais do grupo social, animais solitários, engana a si quem age desse modo.
A realidade possui a nossa cara, a minha, a sua, o DNA coletivo. Nada muda se a pessoa não mudar, dizem doutrinadores, todo tempo, porquanto assim é se nos parece. Seja a mudança que quer para o mundo, afirmava com autoridade o líder indiano Mahatma Gandhi, revolucionário de uma nação que acreditou nos ensinos de paz da sua mensagem e reverteu séculos de colonialismo.
Quantas e tantas vezes reclamamos coerência e honestidade dos nossos representantes, e, durante os turnos eleitorais, agimos qual eles agirão depois que os elegemos, bolsos cheios dos cheques em branco dos nossos votos. Nem tudo só desespera, nesses tempos distorcidos que pedem luzes. Há provas incontestes de amor ao bem público nas providências dos responsáveis sérios que ainda existem nos postos-chave, desde que os levemos até esses lugares da mais importante valia. Diz a sabedoria popular que quando virmos um jabuti em cima de uma estaca de certeza alguém o botou na posição, porquanto jabuti não sobe estaca. Quando um político preenche o mandato significa que os cidadãos o levaram ao lugar.
Filtro dessas representações políticas são os eleitores. Caso reclamemos dos mandatários, eles mostram a cara da sociedade, a nossa cara, também. Esta a equação mais simples do que acontece desde que o homem é homem, na história.
Por isso, perante a república em que vivemos, nós e nossas famílias, as mudanças principiam no dia das eleições, ao preço do suor das pessoas que sofrem; dos inocentes que padecem fome; das mães que vendem filhos; crianças que se prostituem pela ausência do respeito das orientações corretas; jovens desencantados e marginais; ruas esburacadas, sujas, abandonadas; padrões conturbados de horas críticas e contradições, e erros sem alternativas; desmandos e servidão.
Receita simples esta, a quem queira rever os equívocos acumulados: Abra os olhos e veja no espelho da consciência; interprete os meios conquistados nas existências; limpe o espelho dentro de si e trabalhe para descobrir e reavivar as esperanças perdidas pelos que esqueceram das chances de melhorar este mundo.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Hamurábi Batista – Um artista ponteiro




Os pontos de cultura é uma invenção que deu certo. Um dos exemplos vem de Juazeiro do Norte trata-se do Ponto de Cultura Mestre Noza que é gerido pelo ponteiro Hamurábi Batista. Neste Ponto de Cultura, os artistas agora tem a possibilidade de ter acesso gratuito a rede mundial de computadores, além de puderem fazer o registro dos seus trabalhos e isso é conseqüência do trabalho dedicado que vem sendo desenvolvido pelo artista visual e poeta Hamurábi, que recentemente ingressou no Partido Comunista do Brasil – PCdoB.


Alexandre Lucas - Quem é Hamurabi Batista?


Hamurábi Batista - Poeta, xilógrafo, bicho do mato, fruto da década mentirosa, pós ditadura, punk da década de 80 em Juazeiro do Norte.


Alexandre Lucas - Quando teve inicio seu trabalho artístico?


Hamurábi Batista - 1980, imprimindo as xilos gravadas pelo pai, em seu ateliê no fundo do quintal. No mesmo ano passou a escrever poesias nas capas dos cadernos, motivado pelas aulas de português e literatura do ginásio. Também passou a modelar com argila.


Alexandre Lucas - Quais as influências do seu trabalho?


Hamurábi Batista - O dia-a-dia, o rock’n roll, o jazz, o blues, os telejornais, a cultura popular, Augusto dos Anjos, Drummond, Bandeira, Abraão Batista, Mestre Noza, Chico Buarque de Holanda... Tom Zé, revolução.

Alexandre Lucas - Como você ver a relação entre arte e política?


Hamurábi Batista - A arte é livre, e penetra como o vento em todos os lugares que dêem passagem. Todas as coisas são boas, ruim é quem usa. A arte como instrumento formador de opinião, gerador da revolução. Tudo é política, a arte está em tudo. Reprovável podem ser as atitudes das pessoas, sejam na política, na arte, no convívio, no trabalho...

Alexandre Lucas - Seu trabalho é uma mistura do contemporâneo com o popular?


Hamurábi Batista - Exatamente, tudo que faço é resultado disso. Nasci em 1971, um dos piores anos da ditadura, fui adolescente na transição pra a “democracia”, então, acho estar ali o início da fusão. Não posso deixar de lado a tradição popular. Aquilo que mais quis provar era a liberdade de ser uma pessoa íntegra sem a necessidade de seguir padrão forjado pela ditadura, ou por preconceitos. As pessoas mais legais, são as mais simples... não dá para largar isso: o simples e o complexo, o antigo e o moderno. Uma coisa só existe em oposição a outra. Só existe o “sim” por causa da existência do “não”...


Alexandre Lucas - O que representa para você estar no comando do Centro de Cultura Mestre Noza?


Hamurábi Batista - Poxa, muito massa, sou um cara que dá maior valor para as coisas feitas das formas mais rudimentares, sem obrigação de utilizar os recursos modernos. A Associação dos Artesãos de Juazeiro do Norte, da qual sou presidente eleito pela assembléia geral, é exatamente isso, a auto gestão. Procuro integrar meu conhecimento, e minha escolaridade ao movimento, posso ajudar bastante, já conquistamos boas coisas juntos. O Centro Cultural Mestre Noza, gerido pela associação é esplêndido, magnífico, pua que palavras quando podemos constatar pessoalmente? Visite-nos: rua s. Luis, 96 (antigo quartel) centro.

Alexandre Lucas - Quais os desafios do Centro de Cultura Mestre Noza?

Hamurábi Batista - Todos os desafios estão ligados a um: o escoamento da produção. Este é o foco. Não adianta nada se não superarmos a dificuldade de comercialização dos nossos produtos, não dá nem pra pensar com fome, com dívidas, com planos adiados, frustrações...

Alexandre Lucas - Qual a importância do Centro de Cultura Mestre Noza ser Ponto de Cultura?

Hamurábi Batista - INTEGRAÇÃO, E INTERAÇÃO COM OS DIVERSOS SETORES, LINGUAGENS, E TIPOLOGIAS DA CULTURA E DA ARTE, POR MEIO DA REDE ESTADUAL E/OU NACIONAL DOS PONTOS DE CULTURA, O RECONHECIMENTO POR PARTE DOS GOVERNOS ESTADUAL E FEDERAL, AS OPORTUNIDADES E PERSPECTIVAS QUE SURGIRAM, E PODERÃO SURGIR A CURTO E MÉDIO PRAZOS, INCLUSÃO SOCIAL.


Alexandre Lucas - O Brasil vive um novo momento de caráter progressista na área das políticas públicas para a cultura. Como você percebe essa nova conjuntura?


Hamurábi Batista - Importante demais o fato dos recursos públicos para a cultura estarem passando pelas mãos das comunidades culturais, e dos artistas, através dos editais. Há muitas críticas sobre essa política. Vamos avançar sim, lógico. Vejo que antes não tínhamos nada além do abandono e da indiferença. Vamos em frente aprimorar isso conquistado. Buscar formas mais viáveis, eficazes, inclusivas. Há muita gente ainda sem saber escrever projetos, há muitos compatriotas ainda movidos pelo rancor, pelas seqüelas, vamos incluí-los, vamos libertá-los, já!...


Alexandre Lucas - Qual a contribuição social do seu trabalho, enquanto artista?


Hamurábi Batista - Procuro fazer com que as pessoas tenham a liberdade de utilizar o recurso proibido à minha geração: o pensamento, a libertação do preconceito, o rompimento das amarras. Busco a pitada, apimentada, o tempero para tornar mais quente, mais penetrante, mais perigoso aos decreptos.


Alexandre Lucas - Você agora é comunista?


Hamurábi Batista - Vou responder com uma poesia:

O QUAISQUERES

Qualquer coisa eu sou um monossílabo

Dividido em qualquer rima

Desigual

Qualquer ISTA que eu não seja

Natural

Sou um EIRO

Qualquer e impossível

Um talvez

Um tampouco

Ou um total

Numa medida qualquer

Que for possível.

Hamurábi

O velho punk com tendências anarquistas dos anos 80, recém filiado ao PC do B, simpatizante de Trotsky, puto da vida com Stalin, apaixonado por Dilma.

É isso aí, é isto aqui: artesanato é meio comunista, é auto gestão, é Canudos, é Caldeirão.


Alexandre Lucas - Como você ver a atuação do Coletivo Camaradas?


Hamurábi Batista - Poxa, tenho o Coletivo Camaradas como referência. Adquiri quando estudava na Urca, Letras. Do pouco que se salva naquela bodega. Com todo respeito aos colegas professores, e aos companheiros estudantes. O Coletivo Camaradas sempre será pra mim uma grande referência daquilo que há de bom.