Seja colaborador do Cariri Agora

CaririAgora! é o seu espaço para intervir livremente sobre a imensidão de nosso Cariri. Sem fronteiras, sem censuras e sem firulas. Este blog é dedicado a todas as idades e opiniões. Seus textos, matérias, sugestões de pauta e opiniões serão muito bem vindos. Fale conosco: agoracariri@gmail.com

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Espetáculo: OH! TERRINHA BOA.


Dias: 10 e 11 de fevereiro, 20h
No Teatro SESC Patativa do Assaré - Unidade Juazeiro
Comédia Teatral / 60 min.
 
Sinopse do espetáculo: É uma Comédia que retrata a saga de uma Família de Nordestinos sertanejos que diante das dificuldades naturais imposta pela seca, o latifúndio e o poder político dos Coronéis é forçado a deixar sua terra de origem e partir rumo acidade de São Paulo na busca desesperada por melhores condições de vida.sendo uma família semi-alfabetizada, portanto apresentando poucos conhecimentos com isso reduzido o Acesso as informações,amarga o peso da exploração e a descriminação do tipo: Baiano Burro.
A dificuldade de moradia e emprego, bem como a adaptação ao grande centro, passa humilhação por não acompanhar a tal modernidade, por Exemplo: andar de escada rolante, obedecer à sinalização do transito na qualidade de pedestre, esta família acaba dividindo com os moradores de rua um espaço debaixo de Viadutos.
Os temas básicos deste espetáculo são: Cultura Nordestina, Descriminação e Preconceito, Religiosidade e Êxodo Rural.
 
Tema livre para todas as idades.   
 
Entrada Franca!

Mostra de Bandas Armazém do Som - Não perca essa oportunidade!!

Material necessário:

  • CD
  • Foto
  • Release
  • Ficha técnica/Mapa de palco
OBS: Não esqueça de colocar no material contatos como telefone (Fixo e Celular) e também e-mail.


--

Programa Cultura SESC Cariri
(88) 3587 1065 (SESC Juazeiro)

REGULAMENTO MONITORIA PARA PROJETO NO TERREIRO DOS BRINCANTES








O Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC da Universidade Regional do Cariri – URCA e o Coletivo Camaradas, no uso de suas atribuições legais, torna público o presente Edital de abertura de inscrições, visando a seleção de 10 monitores para apoio nas atividades do projeto “No Terreiro dos Brincantes” por um período 12 meses contando com o mês da presente publicação.





OBJETIVOS DO PROJETO:





1. Realizar vivências e registros audiovisuais/fotográficos das atividades nos terreiros dos brincantes da cultura popular da região do Cariri e produção de documentários;
2. Realizar “rodas de conversas” entre pesquisadores, estudantes, artistas e brincantes (in loco) e nas IES;
3. Criação de página virtual (site) para divulgação do Projeto e des pesquisas científica sobre as temáticas: Cultura, Grupo da Tradição Popular, Identidade, Patrimônio Imaterial e Religiosidade e temas correlacionados.





Para candidatar-se a monitor o aluno deve:




1. Estar regularmente matriculado em curso numa faculdade/universidade da região do Cariri ;
2. Ter afinidade e preferencialmente ter trabalhos na área;
3. Ter disponibilidade para as atividades do projeto;
4. Assinar termo de compromisso se selecionado;
5. Apresentar, no ato da inscrição comprovante de matrícula atualizado;
6. Preencher ficha de inscrição.

CERTIFICAÇÃO

O aluno monitor que cumprir as atividades e horários estabelecidos, fará jus a certificado, Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho - IEC com carga horária definida conforme a participação no Projeto.





LOCAL, DATA E HORÁRIO DE INSCRIÇÃO

As inscrições serão feitas na Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude do Crato, no período de 08 a 10 de fevereiro, das 8:00 ás 11h30.




CRITÉRIOS DE SELEÇÃO




1. Currículo
2. Entrevista

RESULTADO DA SELEÇÃO - CURRÍCULOS




Dia 10/02 – a partir das 17h00 no blog do Coletivo Camaradas – http://www.coletivocamaradas.blogspot.com/





ENTREVISTA





Dia 13/02 – às 14h00, no Auditório do Centro do Cultural do Araripe – REFSA Crato.

PRIMEIRA REUNIÃO COM OS SELECIONADOS:

Dia: 24 de fevereiro de 2012
Horário: 14 horas
Local: Auditório do Centro Cultural do Araripe – REFSA Crato .

Crato, 30 de janeiro de 2012


Prof. Dr. Roberto José Siebra Maia
Diretor do Instituto Ecológico e
Cultural Martins Filho – IEC/URCA

Prof. Alexandre Lucas Silva
Coordenador do Projeto
“No Terreiro dos Brincantes” e
do Coletivo Camaradas

Danielle Esmeraldo
Secretária Municipal da Cultura,
Esporte e Juventude do Crato/CE

UMA MÁGOA INESQUECÍVEL - Por Pedro Esmeraldo



A população cratense sofre de mágoas contundentes estimuladas pelas autoridades do Estado, vez que esquecem do Crato nas horas mais precisas no período chuvoso.
Hoje, 28 de janeiro de 2012 fez um ano do vexame que o Crato passou diante de uma chuva torrencial que causou terror durante a madrugada. O comércio dilacerado pela avalanche das águas do Rio Granjeiro acarretou grande prejuízo ao comerciante que suportou com paciência esse descaso.
Muitos desses comerciantes ficaram atônitos com o prejuízo dos seus estabelecimentos.
Foi um Deus nos acuda quando se depararam com esses problemas, visto que alguns deles ficaram em desespero, pois não acreditavam nessas autoridades que costumeiramente desprezam o Crato, já que não têm a quem apelar, permanecem de braços cruzados, somente aguardando a bondade de Deus.
Se não fosse a boa vontade do senhor prefeito junto com o vice-governador, que se interessaram para conseguir verbas especiais a fim de contornar em parte esta situação degradante da cidade do Crato, não teria conseguido uma verba mesmo minguada de quatro milhões de reais, medida (paliativa) que mal dava para sanar em parte o controle do Rio Granjeiro nos dias das enchentes das grandes chuvas.
Não podemos narrar quanto foi o prejuízo dessa cidade, mas temos o pensamento bem obscurecido devido o desinteresse de algumas autoridades do Estado que tudo fazem para prover o Crato de grandes melhoramentos. Tudo negam para esta cidade e não nos deixam esperançosos quando queremos solucionar os problemas.
Até hoje não sabemos por que motivo não concluem pelo menos o remendo do canal. Porque motivo as obras desse canal estão paralisadas. Isto é uma amostragem séria e realista que as autoridades do Estado só desejam dilacerar o Crato, visto que, vez por outra, têm como objetivo deixar o Crato esvaziado em favor do outro município.
Não há razão para isso. Deviam respeitar o Crato, não tirando nada daqui. Por sua vez o povo cratense tem um pensamento negativo diante dos descasos que sempre foram motivados pelos grandões do Estado.
Vivem marginalizando constantemente a nossa cidade e depois ficam de beiço torcido quando há protesto do povo cratense que pede mais apoio e mais dignidade com esta cidade.
Alguns deles só vêm aqui receber homenagem, por certo merecida devido aos poucos serviços que nos prestaram.
Crato foi a cidade precursora do desenvolvimento nacionalista e enquanto hoje, que o seu desejo é riscar a cidade do mapa da história do país.
Até quando vamos suportar esse desprezo? Já temos gritado tanto: não sabemos por qual motivo somos esquecidos, e quando ainda um simples retorno são retirados das margens da estrada Crato Juazeiro.
           Ah Senhor, isso que estamos sofrendo é dose para elefante e não podemos mais suportar esse descaso.

Crato-CE, 28/01/2012.

Autor: Pedro Esmeraldo

PARQUE ESTADUAL DO SÍTIO FUNDÃO CONTINUA ABANDONADO

MENTIRA OU VERDADE?!

DISSE O GOVERNADOR: “EU NÃO SABIA QUE A RESERVA ECOLÓGICA DO SÍTIO FUNDÃO ESTAVA ASSIM... ABANDONADA!”


Por Ed. Alencar


Foto feita em 11 de setembro de 2011. Atualmente quase nada existe.


No dia 22 de dezembro de 2011, quando chegou a cidade do Crato para receber o titulo de cidadão cratense e inaugurar as praças reformadas para o Natal, o governador foi surpreendido com a única manifestação pacífica e silenciosa na cidade. Quando ocupou o palanque da Praça Siqueira Campos, viu surgir em meio à multidão uma faixa, apresentada pelos representantes da família do ecologista Jeferson  da Franca Alencar, que lhe cobravam explicações sobre o abandono da reserva. Em seguida, foi entregue em suas mãos documentos que comprovam, através de textos e fotos, as destruição e vandalismo dentro do Parque, em especial a degradação do velho engenho de pau secular, única relíquia da região. 

Ao folhear os documentos, enquanto falavam os oradores, o governador Cid chamou até o palanque o ex-presidente do CONPAM André Barreto, articulador da compra da reserva, encarregando-o ali de uma missão como seu porta-voz para um levantamento dos problemas do Parque.

Ao término da solenidade, o  governador concedeu entrevista  à imprensa,  dizendo  não  saber  do que estava acontecendo com a reserva . Enfatizou: fiquei sabendo agora, através da faixa e dos documentos que recebi. Concluiu: não quero ser DESMORALIZADO com o que assumi no Crato, assinando uma ordem de serviço perante autoridades e a sociedade. Pedi ao André Barreto que fizesse um relatório dos problemas que o parque está passando. Perguntado por que ele ainda não havia visitado o parque que ele criou, respondeu que já havia visitado a reserva por duas vezes. MENTIRA OU VERDADE?! Pois até hoje não consta nenhum registro de sua visita ao Parque.

Após 30 dias dessas promessas, nesta 2ª feira 30 de janeiro, o governador Cid Gomes e André Barreto se encontraram em Juazeiro do Norte, para o “VEREDICTO” do relatório apresentado, o que deverá ser anunciado em breve.
     
Enquanto isso o velho engenho, desprotegido das chuvas e do sol, voltou a RUIR. Parte de sua estrutura, desprendeu-se com as últimas chuvas da semana que passou. Lamentavelmente, é uma vergonha o descaso do governo com aquela história secular, que se destrói por falta de uma lona de plástico.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

. UM BREJO DESLEMBRADO


Pedro Esmeraldo

Nesses últimos dias tenho andado muito de trem partindo do Crato para a estação do São José. Muito desorientado, convivendo com uma tristeza sem fim devido o abandono dos brejos cratenses que há muito vêm sendo desprezados pelos agricultores devido a falta de apoio técnico e financeiro.
Percebo que por meio desse abandono há um sentimento negativo dos agricultores, visto que facilmente entregam os pontos. Não esboçam reação. Alguns deles pararam de trabalhar, acarretando sérios prejuízos, pois a falta de produção agrícola traz o desespero do cidadão e por certo não há no momento desenvolvimento agrícola.
Constantemente, trago em minha memória a grandeza da produção canavieira do passado que formava uma riqueza que fazia gosto de ver, pois mesmo com aspecto rudimentar, conduzia o homem do campo para o emprego que seria a base favorável e assegurava o cidadão a sua terra natal.
Antigamente, via-se um canavial verdejante, agitado pelo vento úmido que soprava em direção à Chapada do Araripe e deixava o agricultor inebriado pelo conforto que trazia pela sua útil produção, advinda do seu patrimônio equilibrado.
Infelizmente, veio o desuso do consumo da rapadura, trazendo desânimo para o agricultor caririense, devido a falta de modernização no trato da cana, que por sua vez, não houve também a tecnologia das máquinas que favoreceriam na tecnologia da produção canavieira.
Os empresários que vieram observar se seria viável ou não a expansão e a modernização no trato da cana-de-açúcar da região do Cariri, não satisfizeram. Convém notar que foram semelhantes a uma faca de dois gumes, tudo que faziam era favorável somente para eles. Por isso, nada foi adiante e nada produziam com sinceridade, visto que não avançaram no sentido agrícola e da produção canavieira. Nesse ínterim, houve o arrefecimento do homem rural, visto que afirmo que sua permanência na região do Cariri foi efêmera e houve um distúrbio de comportamento limitado dos rurícolas caririense e afirmando ao mesmo tempo que esses empresários não vieram para ficar.
Agora, a título de sugestão, tem que haver consolidação no solo agrícola, voltando a estimular a produção agrícola por meio de incentivo financeiro e técnico, dando orientação ao homem, trazendo uma tecnologia avançada com estímulo para que o agricultor volte a produzir e aproveitar os brejos com produção adequada e vantajosa para que volte apto a produzir como no tempo passado. Porém, essa produção tem que ser adequada com a tecnologia.
  
Crato-CE, 28 de Janeiro de 2012.

Autor: Pedro Esmeraldo

domingo, 29 de janeiro de 2012

Nota de agradecimento

Amigos amores, amados, paixões e casos!


Queria agradecer mais uma vez pela linda Terreirada de ontem! Que público fantástico! A nossa banda da Terreirada! As participações especiais, maravilhosas! Luiza SalesMiguel Fridman GarciaIrineu FernandesYuri Villar,Márcia GuzzoKarina Neves, Romulo Frazão! Entre outros de sempre! As novas parcerias com Aline Brufato e o Semente da Música Brasileira!



Essa história começou com Elizabeth FernandesPaloma Fraga, Isabel Viana, Ranier Oliveira,Flauberto Gomes, e tantos outros parceiros! Essa galera tem todos os méritos do que somos hoje! Desde Grupo Tá Na Rua, com o Cigano, (rsrsrs) o CTO, Casa Gira Mundo... E vamos seguimos caminho! Cada vez mais desenvolvendo um trabalho mais amplo, muito além do forró! Passeando pela música brasileira e universal! Inovando sem perder a essencial da nossa música, no terreiro, dos folguedos, da celebração da vida!

Vem aí o carnaval e teremos a Terreirada à Fantasia, em março ja voltamos com a Terreirada Cariri, e ainda esse semestre iniciaremos a Terreirada especial, mensalmente, em uma espaço ainda maior com convidados e tudo! Salve o Ceará, meu Cariri, e salve o Rio de Janeiro! Isso é Brasil!

Atualmente! Somos Julia Guimaraes, Geraldo Junior, Beto LemosGabriel PontesCláudio Lima,Joana Araujo e Felipe Rodrigues! Mas passaram por aqui e deixaram sua contribuição: Filipe MüllerMarcelo Müller,Flauberto Gomes, Ranier Oliveira, Luiza Sales, Francisco Gomide, Maria Gomide, João Bittencourt e tantos outros, também!

É isso, vim dizer aqui que nada é graça! Essa construção é como qualquer outra coisa na vida na qual agente se doa! Tem amor e carinho, seja um jardim, uma poesia, uma canção, um Terreiro... Hoje vamos colhendo as flores plantadas por cada um de vcs! Principalmente o público!

Tenho orgulho em repetir:

- Somos uma festa independente, um espaço alternativos!
Desenvolvemos aqui uma expressão artística, não apenas uma reprodução da música de mercado ou da cultura de massa! Isso é uma conquista! Que venham muitos outros anos pela frente! 

Amigos, somos agradecidos por vcs escreverem essa história conosco!Continuem compartilhando literalmente, digitalmente, fisicamente, espiritualmente, essa alegria conosco!


Beijos e abraços,


Terreirada Cearense!

Seduc desrespeita resolução do Conselho Estadual de Educação do Ceará

Existem casos que professor de Educação Física leciona Artes no Estado.


A disciplina de Artes é obrigatória no Ensino Básico e exige que algumas especificidades sejam atendidas. No Estado do Ceará a Resolução 411/2006, fixa normas para o componente curricular Artes, no âmbito do Sistema de Ensino do Estado do Ceará. Entretanto a resolução vem sendo despeitada pela Secretaria Estadual de Educação – SEDUC. A resolução entrou em vigor desde 2007.

Conforme o Art. 7º A formação de professores para a disciplina Artes será feita em curso de licenciatura específica na área, conforme as diretrizes curriculares para a formação de docentes. Porém o que se observa é a negligencia em relação a essa questão, a lotação dos professores de Artes é feita sem nenhum critério em relação à formação dos educadores, existem casos em que professores de Educação Física ministram as aulas de Artes.

A preocupação da Seduc, através das Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação – CREDEs é usar a disciplinar de Artes para complementar a carga horária dos professores. Desconsiderando a formação dos professores e o processo de ensino-aprendizagem dos alunos.

Outro aspecto desrespeitado é o registro da avaliação no histórico escolar, na disciplina Artes tanto em conhecimentos quanto em realizações artísticas, deverá ter caráter descritivo, sem notas ou conceitos, levando em conta realizações nos inúmeros aspectos da criatividade que é possível explorar, conforme prevê o Parágrafo Único do art. 5º.

A resolução indica também no Art. 3º que compete às instituições públicas e privadas a responsabilidade de: I – oferecer condições aos arte - educadores para o cumprimento dos objetivos expressos na Resolução; II – disponibilizar material adequado às necessidades dos arte–educadores e reservar-lhes horários que manifestem a importância do seu trabalho no processo escolar; III – desenvolver programas de formação continuada para sempre melhor qualificação dos recursos humanos responsáveis por essa área de conhecimento; IV – oferecer possibilidades de acesso a eventos locais de interesse artístico para alunos e professores, com a devida preparação, acompanhamento e avaliação.

Outro fator questionado é o material didático oferecido aos alunos que não correspondem os objetivos previstos na resolução estadual.

As Secretarias Municipais de Educação também estão despeitando a resolução estadual. Um dos critérios para sanar o problema é a realização de concurso público para suprir a carência de professores do tanto do Estado quanto dos Municípios.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

HOJE TEM ESPETÁCULO!!!

Mundo de sonhos - Emerson Monteiro

Nos mistérios da Natureza, os sonhos ocupam lugar privilegiado. Tal qual pensamentos independem da pura vontade dos que pensam, sonhos se apresentam na medida do sono e ninguém escapa dos encaminhamentos instigantes que formam noites a fora. Há estudos mil quanto aos sonhos. Na Ciência, busca persistente aprofunda respostas a isto, desde o passado remoto, e ainda permanece presa ao campo nebuloso das cogitações, circulando o tema de olhos atentos, porém precisando de maiores esclarecimentos que a todos convençam. Admirável esse universo sempre novo dos sonhos.

A propósito, lembro de história que, um dia, ouvi de certo antropólogo americano, não lhe recordo o nome, que viajava pelas tribos da Amazônia e entrevistara velho pajé a respeito dos sonhos. Na entrevista, perguntou ao indígena do poder que as pessoas possuem de entrarem nos sonhos das outras.

Sem titubear, o feiticeiro respondeu que sim, as pessoas podem entrar nos sonhos das outras pessoas, acrescentando em seguida que iria demonstrar, na prática, ao pesquisador, o que estava afirmando naquele momento. Que entraria em um dos seus sonhos para provar o que dissera.

Depois de o professor seguir a outros locais de estudos, retornou à região alguns meses transcorridos desde então. Ali, de novo, se avistou com o pajé da entrevista. Nessa hora, o próprio selvagem foi quem tomou a iniciativa de lembrar o mesmo assunto dos sonhos, e perguntou:

- O senhor recorda de um sonho que outro dia teve, e que nele apareceu uma onça pintada em movimento dentro da floresta?

Após concentrar o pensamento, confirmou o antropólogo aquele sonho que, com clareza, vivenciara no intervalo de tempo após haver encontrado o pajé pela primeira vez.

- Pois aquela onça era eu – assim e naturalmente retribuiu o índio antigo.

Observo, contudo, a margem infinita dos conhecimentos em adquirir, nas jornadas da experiência, o domínio de si sob os mistérios que, a todo o momento, surgem nas portas da transformação, espaço do crescimento individual comum e fértil.

E concluo indagando aquilo mesmo que quis saber do índio o estudioso americano:

- É possível a uma pessoa entrar nos sonhos das outras pessoas?

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

HISTÓRIA DE UM MENINO DE RUA




Pedro Esmeraldo

Em uma cidade chamada Catolé da Serra, pertencente ao maciço nordestino, havia uma horda de garotos com tendência a serem marginais. Foi interrompida a sua vida de marginalidade pelo juiz da comarca local, que teve a idéia, “após várias tentativas de controle”, de melhorar a vida dessas crianças, doando aos fazendeiros locais para corroborar com seus estudos a fim de se tornarem homens de bem.
O juiz muito rígido não teve complacência com as mães e arrebatou-as entregando-as aos devidos fazendeiros. Por esse motivo a população dessa cidade andava apavorada com o procedimento educativo dessas crianças, vez que praticavam coisas absurdas com tendência a roubos e a ociosidade.
Com insistência das mães das crianças, visto que essas mães consideradas solteiras e muito pobres tiveram que aceitar a medida austera desse juiz, conformando-se por que teriam um bom procedimento no futuro.
Catolé da Serra era uma cidade pequena e calma, agradável, mas muito bonita, situada no pé de Serra denominado de macavi. Sua população era ordeira e muito bairrista. Rivalizava-se com a outra cidade de nome Marmeleiro, briguenta, entopercente, cheia de pieguismo que dava o que falar ao pessoal estranho à vida monástica. As duas brigavam entre si. Cada qual queria ser melhor do que a outra, quando disputava partidas de futebol era um Deus nos acuda, a briga troava que fazia medo a gente se colocar de lado. Ninguém suportava tantos palavrões e era um povo fantasioso. Após a partida de futebol havia muita gozação, todos ficavam bem entre si.
Um dia esse juiz convocou um senhor de respeito e bem sucedido agricultor, proprietário de engenho e ofereceu um desses meninos para acabar de criar com precisão.
Esse senhor não teve alternativa e aceitou o menino por nome Francisco Brunelly, nome italiano, provavelmente de seu pai, que era italiano.
Após a chegada desse garoto em sua casa, entregue pelo soldado Miúdo, o dito menino foi entregue ao senhor do engenho mandado pelo juiz. Antes, porém, o soldado Miúdo deu conselhos a Brunelly, dizendo: “Tome cuidado e siga em frente. Esse senhor é muito bom e pode fazer de você um bom cidadão”. Após passar alguns dias, Brunelly não atendeu o conselho do soldado e fugiu de casa. Novamente o juiz tomando conhecimento, mandou entregar o menino Brunelly na casa do fazendeiro. O soldado Miúdo deu outra saraivada de conselhos a Brunelly, dizendo: “A coisa aqui é séria; o juiz não tá de brincadeira não, ou você se ajeita ou vai parar em outro local muito ruim, pior do que você quando vivia na rua, rabo de tatu, passando fome, sem estudar, caminhando para a marginalidade e por isso você deve tomar jeito de homem sério.”
Esse menino não deu para o estudo e o senhor fez várias tentativas para prepará-lo e ser um cidadão de bem. Não obedecia os rigores da escola e não passava de ano.
O patrão aborrecido mandou Brunelly ir para a roça trabalhar com o pessoal destinado ao trabalho pesado.
Brunelly, já rapaz, passou a gostar de uma moça muito bonita com o nome de Ceiça Tomazelly. Após o casamento de Brunelly, deram a ele uma carroça de tração animal para a sua manutenção permanente.
Brunelly teve vários filhos com Ceiça e que se criaram juntos até a morte prematura da mãe.
Brunelly não se habituou a viver sozinho com os filhos e arranjou outra moça para se casar. Depois do casamento, Brunelly abandonou os filhos e foi viver com outra mulher chamada Nazareth e constituiu vários filhos com essa digna moça.
Brunelly ainda vive no sítio, aposentado, viúvo, vive solitário com os filhos de Nazareth, convém notar que os filhos da primeira mulher se afastaram do pai, deixando arredio, dizendo eles que o pai abandonou-lhes quando pequenos.

Crato-CE, 24/01/2012

Autor: Pedro Esmeraldo

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Irreverência deverá marcar exposição “De Não Artistas” no SESC



Público é incentivado a levar câmera fotográfica e filmadora para fazer extensão da exposição para espaço virtual.

Quem disse que arte é coisa para artista? Essa é a provocação da Exposição “De não artistas” que terá início nesta quinta-feira, dia 26, na Galeria de Artes do SESC Juazeiro do Norte , a partir das 19h00.
...
A exposição deverá ser marcada pela irreverência e a participação do público e consistirá de objetos e trabalhos interativos, além da exibição de vídeos sobre performances e intervenções urbanas realizados com alunos de escolas públicas do Crato, através do Laboratório de Estudos, Vivenciais e Experimentos em Arte Contemporânea – LEVE Arte Contemporânea. Além desses trabalhos terá uma espécie de atelier aberto em que o público poderá criar, montar, dançar, escrever, desenhar, etc. Outra característica é a extensão da exposição para o espaço virtual, tendo em vista que as pessoas estarão sendo instigadas a registrar e disponibilizar fotografias e filmagens na internet.

A exposição “De não artistas” é uma proposta do Coletivo Camaradas que ao longo dos anos vem desenvolvendo trabalhos artísticos e estéticos com esse caráter de inclusão e interação do grande público. “Não pretendemos fazer arte para os artistas, pois esse já tem acesso a arte. Queremos fazer arte com e para o povo”, acrescenta o integrante do Coletivo, Ricardo Alves.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Raiz da Educação Pública no Cariri - Monsenhor Vicente Bezerra -85 anos

No dia 07 de Setembro de 1920, ao som do apito do trem é formalizada a inauguração oficial da linha férrea, Aurora – Fortaleza- Fortaleza-Aurora a população aplaudia como um presente do Estado do Ceará, a chegada à plataforma na agencia da estação em Aurora-CE, o povo boquiaberto com aquela enorme máquina do progresso sobre linhas, os mais céticos a observarem como tão potente estrutura se equilibrava em retas tão finas de aço – Trilhos. Aurora passa a ser o centro do cariri, pois todos os viajantes teriam que vir a Aurora para a capital alencarina, Era uma festa só, pois ao ritmo do progresso velhas casas se transformaram em restaurantes, as famosas “bodegas” em tempo recorde passaram a ser mercearias de secos e molhados, enfim,o fluxo econômico foi multiplicado em cem por um. Com o terminal em Aurora, ao retorno a Fortaleza foi necessários vários funcionários para atender as demandas crescentes, assim inúmeros iluministas sociais vieram de outras urbes residir na terra do sol nascente. Cria-se uma solução no sistema de transporte coletivo, mas um problema para os filhos dos humanistas sociais. - Como educar os filhos em Aurora? O Que existia, tão somente, as Escolas Reunidas na função de “desarnar” os filhos da região, principalmente, os filhos dos mais abastados, vez os jovens, cuidarem com os pais das atividades campestres, pois na época exigia-se todo o esforço da família, às vezes precisando contratar trabalhadores para o famigerado trabalho de alugado. Foi ai que a comissão de humanistas, iluministas sociais, tiveram a brilhante idéia de consolidar a educação pulverizada das Escolas Reunidas com autonomia geográfica e estrutural em um prédio feito em alvenaria. A comissão com o apoio dos proprietários, comerciantes, agricultores e o povo em geral, com anuência do Estado do Ceará, conseguiram alavancar o sonho do povo com a sua primeira casa de Educação Publica no Cariri Cearense – Aurora-CE, a hoje, Escola de Ensino Fundamental Médio Monsenhor Vicente Bezerra, que garbosa ao tracejado dos pioneiros sempre em reforma estrutural e intelectual para entregar ao cariri cearense o modelo de luta, tenacidade, determinação a servir sempre ao povo da linda região do cariri e, neste próximo dia 15 de março, 2012 - 85 anos educando na eterna dialética de envelhecer no rejuvenescimento. Núcleo Gestor atual - 2012 Diretora Administrativa: Profa. Francisca Edvania Tavares Coordenadora Escolar: Profa. Fátima Pereira da Silva Coordenador Escolar: Prof. Vicente Luna Alencar Secretária Escolar: Francisca Auristela Fernandes França.
Artigo feito pelo Professor da Escola - Luiz Domingos de Luna-

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Uma Noite flutuante - por Pedro Esmeraldo


Um rapaz emagrecido causado pelo sofrimento, não conseguia dormir à noite. Amargurado, semelhante a um ser desnaturado ficava atribulado procurando encontrar terapia para fugir das canseiras do seu serviço.
Seu maior problema foi a situação crítica que teve com os companheiros de serviço quando executava a sua tarefa. Não correspondia ao trabalho que havia de concluir com urgência em tempo determinado. Por falta de ordem disciplinar desentendeu com os companheiros. Não cumpria satisfatoriamente suas obrigações em tempo hábil. Aflito, teve de se retirar mais cedo afastando de suas obrigações a fim de se recolher à sua residência para readquirir disposição total e recobrar seu estado emocional. Quando chegou à sua casa não pôde concentrar-se com intuito de refletir a mente partida devido o desgaste que o deixava atormentado.
Apesar dos esforços que fez, teve a sorte de se controlar, continuando sempre com aporrinhação e mal-estar provocado pelos aborrecimentos do dia. Por este motivo privou-se do sono e não conseguiu acalmar-se até altas horas da noite.
Nada pôde fazer a não ser deslocar-se para a rua tentando amenizar as canseiras da mente e pudesse readquirir o seu sono preferido, ansiando encontrar objetividade no pensamento.
Esforçava-se para sair desse desencanto, visto que ficava atoleimado por horas a fio e ficava quieto mergulhado nas águas turvas que escorrem das favelas da cidade.
Nesse período, perambulava pelas ruas um grupo de rapazes alegres e embriagados que desapontavam os cidadãos com sua desatenção, dizendo palavras inócuas e incompatíveis com o ambiente.
Seguia em frente no seu caminho, mergulhando no desespero de causa, até encontrar outro bêbado na calada da noite andando cambaleando pelo meio da rua e submergido na loucura desvairada com conversas dilacerantes e com aborrecimento. Não foi possível tolerar esse bêbado imundo, que falava palavras desordenadas: “não tenho mais senso de responsabilidade e não consigo entrar na estrada do bom senso.” Continuava andando pelas ruas da periferia, encontrava um porco, vindo da banda da Quixabeira fuçava, numa lama podre que vinha dos esgotos das residências da favela local. Ficou indignado com esse ato de desprezo dos animais, pois tudo isto é um descaso das autoridades que não ligam para o problema solitário da cidade.
Para forçar coragem e fugir desse bêbado, evitou conversas desnecessárias. Continuava andando sem direção. Encontrou com o guarda noturno, apitando, fazendo perguntas, desejando saber de sua identidade. Livrou-se desse senhor que o aconselhava a ir para casa, dizendo que ali não era ambiente para ele.
Seguiu em frente, tristonho pela mesma rua; antes de entrar em outra favela deparou com a ronda policial. Foi vistoriado e seguindo o pensamento do guarda com alvoroço. O guarda liberou e mandou ir para casa, aconselhando a não andar mais para aquelas bandas, que eram perigosas para os jovens de sua idade. Retornou para sua casa e lá encontrou seus familiares preocupados com a sua fuga. Vá dormir e fique tranqüilo, disseram os seus familiares.

 Crato-CE, 20/01/2012

Autor: Pedro Esmeraldo

domingo, 22 de janeiro de 2012

Lançamento do Clipe da Banda NIGHTLIFE


Há 9 anos na estrada, a banda sul cearense NIGHTLIFE vem fazendo a diferença por onde tem andado. Tocando e encantando uma galera sem limites de idade, passeia pelo rock e pelo pop com um estilo único, transformando qualquer evento em uma verdadeira festa, onde a alegria e a descontração são a tônica.

Em sua mais recente fase, dessa vez em parceria com a Sertão Pop Produções, está preparando o seu primeiro disco de músicas autorais, e já vem com um grande sucesso que está fazendo a cabeça da moçada. "THE PASSION", é a música de trabalho do CD que promete estourar na região do Cariri e certamente por esse Brasil afora. Está sendo lançado também um clip com a música e outras mudanças para melhor estarão acontecendo ao longo dessa nova fase da banda.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Utilidade providencial do trabalho - Emerson Monteiro

Ganhar este mundo com o suor do próprio rosto, quanto de sabedoria existe nisso. Esquecer a inutilidade através da identificação naquilo com que ocupar o tempo e a vida, no querer utilizar a riqueza das horas para elaboração das fortunas pessoais, a todo o momento. Quão poucos descobrem em essência esta lição magistral... Uns através da necessidade e da sobrevivência, outros por meio da vocação, dos talentos, dons, interesses...

Ouviu-se que em mente desocupada o Diabo faz tricô. Andar desocupado, aventurando a vida nos trapos de perversão, olhar em torno e fazer nada, que pouca imaginação representa. Vagar solto no vento, nem os pássaros, que a cada dia elabora a moldura dos lugares com sua alegria e volteios de beleza rara, entre nuvens e folhagens, à cata de onde adormecer e, ao despertar, tonificar de harmonia os mistérios da mãe Natureza.

Malandrar qual quem se perdeu as pernas no desespero da dor e da inutilidade, nos depois. Trabalhar jamais arrancou pedaço da alma da gente. Os acomodados, doentes de preguiça, dão notícia de possíveis fugas do compromisso das responsabilidades. Todavia sofrem desse torpor de olhar o alheio de lábios vazios. E felicidade rima com atividade, espinha dorsal das melhores aspirações. É tanto que, quando param as engrenagens do trabalho, pensamentos seguem funcionando, mostrando meios de planejar outras horas prósperas.

Isso de crescer sobre as bases sólidas do ritmo de trabalhar e sonhar, sonhar e trabalhar, representa o eterno movimento das ações e dos sistemas. Sociedades felizes nascem, pois, das festividades coletivas do trabalho, conhecimento da efetiva produção de novos elementos na soma dos antecedentes, dos valores armazenados no decorrer das histórias, nos grupos humanos.

Descobrir a importância facilitadora de trabalhar cresce a personalidade e os diversos instantes da jornada terrena, tesouro precioso das pessoas, fonte da paz realizadora.

Bem fácil revelar o primor desses pequenos gestos internos, experiência que, por vezes, só aprendemos no declinar das energias, e que tanta qualidade boa ocasionaria vinda no seio da rica juventude.

Há um conceito especial que ganhou campo nas escolas atuais que diz ser apenas nos dicionários onde a palavra sucesso vem antes de trabalho. Aplicar, em consequência, esta orientação significa norma de mais absoluta das verdades.

O Brasil e a Copa do Mundo - Por José de Arimatéa dos Santos

Esses dias o país só discutiu o dispensável BBB e uma jogada de marketing que muitos caíram feitos patos(Luíza) e os grandes problemas nacionais, estaduais e municipais como sempre jogados para debaixo do tapete. Futilidades dá audiência e como tal ao ligar a televisão só se fala em tais assuntos. E nas redes sociais Luíza quebra todos os recordes de audiência e comentários e mais comentários com o bordão e o jogo de marketing tão característico das grandes campanhas publicitárias. Engraçado que muita gente embarca nisso sem saber o significada disso tudo.
Mas o que a Copa do Mundo tem a ver com isso? A princípio, nada a ver. A visita do Secretário Geral da FIFA(entidade maior do futebol) Jérôme Valcke foi ofuscada por essas futilidades comentadas acima, mas a mesma se reveste de uma importância crucial na vida nacional. Além do governo brasileiro está a torrar o dinheiro de todos os brasileiros em estádios que somente uma elite desfrutará das maravilhosas jogadas na copa e depois com os donos dos estádios, pois para mantê-los acabarão privatizando-os e com ingressos caros o verdadeiro torcedor de futebol ficará a ver somente seu time pela tv.
A FIFA vem somente cobrar, cobrar e cobrar. E que se dane o país. Ela só quer auferir os lucros da festa. E agora quer derrubar leis importantes que o povo brasileiro demorou muitos anos para conseguir e funciona na prática. Ao menos dentro dos estádios a violência diminuiu depois que se proibiu a venda de bebida alcoólica e a meia entrada de estudantes e idosos querem limitar. A entidade do futebol quer garantias que se houver algum prejuízo com a Copa que o povo brasileiro pague a conta. São pontos que poderão ser contemplados na Lei Geral da Copa em tramitação no Congresso Nacional.
Vejo que roubada o Brasil entrou ao aceitar ser sede de uma Copa do Mundo. Sou aficcionado por futebol e vou torcer pelo Brasil, mas infelizmente não temos um time e nem mais aqueles jogadores como Rivelino, Zico, Sócrates, Romário, Ronaldo Nazário... Seleções como a Espanha, Holanda e Alemanha já estão praticamente prontas, pois já têm um time base. E agora é esperar que os deputados e senadores não se curvem diante da pressão da FIFA e que Mano consiga formar um time competitivo para não fazer feio em nosso território.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

CARNAVAL DA SAUDADE 2012



O mais tradicional carnaval realizado no sábado magro, o Carnaval da Saudade vem a cada ano se consolidando como patrimônio do Cariri. Este ano vai realizar um baile a fantasia com concurso de fantasia e com a presença da maravilhosa Orquestra Azes do Ritmo.

OBS: Este evento é produzido e realizado pela diretoria do Crato Tênis Clube.

O que é melhor pra cidade ? Mudar um problema que acontece uma vez no ano, ou um que existe todo dia ?


O parque de Exposições é pra ser usado o ano inteiro pela população, e não apenas durante uma semana. Vamos derrubar aqueles muros! O Crato também precisa de novas avenidas perimetrais, ligando do Centro de Convenções ao Grangeiro, por dentro, criando novos bairros e valorizando terras onde hoje é apenas mato!

Dihelson Mendonça

http://4.bp.blogspot.com/-Epspkwu4_fw/TxdJ7jJYZkI/AAAAAAAAdu0/N4kw9XHPPPE/s1600/parque02.jpg


Como todos nós sabemos, há uma grande discussão no Crato sobre o que fazer com o Parque de Exposições, que já não comporta o volume de pessoas e investimentos. Alguns são da opinião que deve-se construir um novo parque. Outros são a favor que se amplie o atual. Os motivos são variados. O local se tornou pequeno. Entretanto, pouca gente sabe que apenas 30 a 40 por cento do espaço é utilizado para a Expocrato.

Em 2009, o governador Cid Gomes ofereceu 25 milhões para a expocrato ( Para construção de um novo parque ou reforma do atual ). A prefeitura então, entregou um projeto que já dispunha, de ampliação e reforma, elaborado em 2005/2006 que passa a utilizar os outros 70% da área, e transformaria o parque numa área verde da cidade para uso diário pela população, e não apenas uma vez por ano, como acontece hoje.

O parque ampliado seria um Parque Central Arborizado, uma espécie de IBIRAPUERA Cratense, com Lago, pistas de cooper, anfiteatro, etc, uma área de lazer para ser usada o ano todo pela população. Convenhamos que é muita sem serventia um parque cercado de muros para ser usado apenas só uma vez ao ano localizado em área nobre, no centroda cidade. É preciso derrubar os muros e deixar a população usar, ms não só isso, melhorar a infraestrutura toda.

E o destino da URCA ?

A URCA deveria sair dali, porque causa problemas de infraestrutura o ano inteiro, todos os dias, com dezenas de ônibus atrapalhando e poluindo o centro da cidade, e agora pior, porque não podem trafegar veículos pesados, causando um gargalo no tráfego de veículos. Sou a favor que a URCA se mude para a Cidade Universitária, junto com a Faculdade Católica e o Centro de Convenções, formando o maior aglomerado de educação do Cariri em terras cratenses. O que é melhor para nossa cidade, remover um problema que acontece uma vez ao ano, ou um que acontece todo dia ?

No projeto de ampliação da Expocrato elaborado pela equipe do Prefeito Samuel Araripe, contempla ainda a construção de 5 avenidas saindo do Centro de Convenções por dentro, passando pela expocrato e indo ao parque Grangeiro e Lameiro, que criaria vários novos bairros no Crato, valorizando terras onde hoje é apenas mato. Pois bem, esse projeto já orçado em todos os custos foi entregue ao Governador já por 5 vezes, que deu o silêncio como resposta desde 2009.

Cadê o nosso governador que não sustentou a promessa que fez aos Cratenses ?

Por: Dihelson Mendonça

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A loirinha do sertão – Por Pedro Esmeraldo

Senhor Antonio Ferreira Mandaçaia é o senhor aloirado, nem era rico e nem era pobre. Era controlado em seu trabalho no ramo agropecuário. Habitava numa fazenda situada no meio rústico do sertão nordestino. Predominava a criação de gado bovino e uma agricultura rudimentar, baseada na cultura de grãos que servia para complementar o custeio de sua fazenda com cerca de 200 HA. Prevalecia uma propriedade cortada pelo riacho favorecida por termos que reforçava para adquirir produtos ardilosos que facilitava o bom desempenho do plantio agrícola.

Era um alegre senhor com mais ou menos 1,75 de altura, que se elevava como cidadão mais eficiente, pois devido às suas dificuldades no trabalho, às péssimas situações climáticas que vez por outra aparece na região Nordeste. Além da criação de gado bovino, seu Antonio se esforçava para a criação de outros animais como da raça caprina, que era adaptada na nossa região e que era facilmente vendável.

Seu Mandaçaia não perdia a esperança e procurava estender-se a toda sorte de cultura favorecido ao meio ambiente seco do clima semi-árido nordestino.

Era valente, corajoso e enfrentava situações com bravura. Não perdia oportunidades, aproveitava todas as neblinas que surgissem no meio do tempo. Por isso ele era bem sucedido na sua colheita, pois conseguia melhor preço em tempo hábil, auxiliado pela lei da oferta e da procura.

Pai de uma filha loira, linda, que praticava todas as manhãs a equitação, que é a arte de praticar o esporte na sela. Seu pai tinha o maior prazer de adquirir bons cavalos tipo mangalarga para fazer o desejo da filha Sandra.

Essa menina desde seis anos adquiriu o apelido de loirinha do sertão, porque lá só havia ela com esta qualidade, costumava cavalgar nas estradas da fazenda junto com sua companheira de estudo, Rita Maria, filha do capataz muito amigo do seu pai.

Quando as duas completaram 16 anos foram obrigadas a se deslocar até a capital do estado a fim de prestar exame vestibular para medicina, que era um desejo de ambas. Permaneceram as duas na capital até suas formaturas em medicina, voltando para casa somente após o término dos seus estudos. Eram umas meninas equilibradas e estudiosas. Forçaram a barra, procuraram adaptar-se emocionalmente ao meio no intuito de qualificarem-se para exercer com precisão o seu trabalho.

Quando estavam fora de casa, comeram o pão que o diabo amassou, já que os pais não muito ricos, tiveram de controlar as despesas enviando somente o necessário para a sua manutenção escolar. Mas as duas souberam compreender e ajudaram o pai a manter a economia, deixando-o a vontade para que enviasse o mínimo possível de acordo com a sua possibilidade.

As duas foram coerentes, souberam suportar com dignidade a dificuldade dos pais e respondiam com bom procedimento estudantil, deixando os pais totalmente enaltecidos e conformados pelo bom proveito das filhas.

Está aí um exemplo de compreensão mútua que toda a juventude deveria seguir, pois se a maioria dos estudantes assim fizessem, o Brasil estaria numa situação bem elevada de dignidade moral, que seria um mostruário de trabalho para juventude desqualificada que só prefere entregar-se ao vício da droga e da ociosidade.

Crato-CE, 18 de janeiro de 2011.

Autor: Pedro Esmeraldo

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

IEC fecha parceria com Secretariade Cultura do Crato para o Projeto "No Terreiro dos Brincantes"

A produção de documentários de curta duração sobre os mestres e grupos da cultura popular da região do Cariri é desenvolvida através do Projeto “No Terreiro dos Brincantes” realizado pelo Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC da Universidade Regional do Cariri - URCA e o Coletivo Camaradas. O Projeto teve inicio em janeiro de 2010 e a pretensão é a distribuição de oito documentários para as escolas da rede pública a partir de fevereiro deste ano.


Visando fortalecer e garantir condições de continuidade do Projeto, foi efetivada uma parceria com a Secretária Municipal da Cultura, Esporte e Juventude do Crato. A parceria prevê articulação para viabilizar transporte para as visitas as comunidades e disponibilização de espaços para realização das reuniões do Projeto.


Outro fator importante é a abertura de monitoria para estudantes de universidades e faculdades da região do Cariri. Nos próximos dias estará sendo divulgado edital para o processo de seleção para monitores. Os quais terão a oportunidade de estudar e vivenciar a cultura popular. Anteriormente, a monitoria era destinada apenas aos estudantes da URCA.


Para a Secretária Danielle Esmeraldo, o projeto veio numa boa hora, tendo vista, que a Secretaria tinha o interesse em fazer registro audiovisual das manifestações artísticas e culturais do Município. Ela destaca que esse é um dos projetos importantes para se conhecer a diversidade dos grupos e dos mestres.


Para o diretor do IEC, professor Roberto Siebra essa parceria viabilizar que o Instituto possa ampliar sua área de atuação. Ele frisa que o projeto é um mecanismo importante para socializar o conhecimento sobre a cultura popular na região do Cariri.


O coordenador do Projeto “No Terreiro dos Brincantes”, o artista/educador Alexandre Lucas destaca que a parceria possibilitará as condições mínimas de funcionamento do Projeto que é viabilizar o deslocamento da equipe para os as comunidades em que residem os brincantes. Ele enfatiza que os documentários, além de serem distribuídos nas escolas serão disponibilizados na internet para que qualquer possa ter acesso ao material produzido.